Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Pai de jogador ameaçou responsáveis do Estrela com uma arma para conseguir desvincular o filho

Por causa de um documento essencial para o poder inscrever noutro clube, o pai de um futebolista menor do Estrela da Amadora ameaçou responsáveis do clube com uma arma de fogo. Seis meses depois do incidente, foi detido

Rui Gustavo

Scott Olson

Partilhar

Um homem de 43 anos invadiu as instalações do Estrela da Amadora exigindo a carta de desvinculação do filho menor, que jogava nas escolinhas do clube. Mesmo nas camadas jovens, para poder inscrever um jogador num clube, é necessário que o anterior o liberte. Problema: o rapaz tinha mensalidades em atraso, havia despesas com a desvinculação e os responsáveis do clube exigiram o pagamento da quantia - não mais de cem euros, segundo uma fonte policial - para assinarem a carta de desvinculação.

Segundo um comunicado da Polícia Judiciária, perante a recusa dos responsáveis, o pai do menor "ameaçou as vítimas com uma arma de fogo, obrigando-as a refugiarem-se numa sala, o que não o impediu de desferir pontapés e murros na porta da mesma, provocando a quebra do vidro respetivo". A arma, ilegal, é 6.35 mm transformada, estava carregada e foi apreendida pela polícia,

Uma fonte do clube confirma ao Expresso o episódio "chato", mas ressalva que "não foram disparados tiros e não houve quaisquer agressões".

O incidente ocorreu em dezembro do ano passado e o suspeito fugiu assim que se apercebeu que as vítimas tinham chamado a polícia. Só agora, seis meses depois, foi detido pela polícia. Vai ser presente hoje a um juiz para aplicação das medidas de coação. Não tem cadastro mas, tendo em conta o que aconteceu, a polícia "irá prosseguir a investigação, visando apurar a eventual participação do ora detido em outros crimes idênticos". .

A carta de desvinculação não chegou a ser passada.