Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

SAD do Desportivo das Aves deve mais de €3 milhões ao Estado

Processo especial de revitalização da SAD do clube recém-despromovido lista dívidas totais de 17 milhões de euros. O fisco é o segundo maior credor

Miguel Prado

JOSE COELHO/LUSA

Partilhar

O Clube Desportivo das Aves Futebol SAD soma dívidas de 17,1 milhões de euros, sendo o Estado um dos maiores credores, com aproximadamente 3,1 milhões de euros por receber, segundo a lista provisória de credores publicada esta semana no portal Citius.

A lista revela que a SAD do clube despromovido à segunda liga deve atualmente 2,56 milhões de euros à Autoridade Tributária (14,94% do total dos créditos), relativos a IRS, IVA, coimas e custas. Já à Segurança Social são 557 mil euros de pagamentos por regularizar, relativos a contribuições em atraso e respetivos juros. Em ambos os casos são créditos privilegiados, o que significa que terão prioridade no plano de revitalização que venha a ser delineado para o clube da Vila das Aves.

O fisco é o segundo maior credor da SAD do Desportivo das Aves. O maior é a empresa Galaxy Believers, acionista da SAD, que soma 4,64 milhões de euros (27% do total) em empréstimos à SAD. A Galaxy Believers, que tem entre os seus sócios o empresário Wei Zhao, é um credor subordinado, que ficará para segundo plano na ordem de prioridade do recebimento de créditos.

A lista soma mais de uma centena de credores, muitos dos quais futebolistas e outros funcionários da SAD, a maior parte com salários em atraso desde abril (e alguns desde março).

O ex-treinador do Aves, Nuno Manta Santos, é um dos maiores credores individuais da SAD, com mais de meio milhão de euros por receber, que incluem retribuições desde dezembro de 2019.

O próprio Clube Desportivo das Aves é credor de 837 mil euros e há várias empresas na lista de espera, como a construtora Engimoc, com um crédito de 451 mil euros ligado à empreitada do Galaxy Futebol Campus.