Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

O guia total para a Liga 2020-21: treinadores, táticas, vendas, contratações e esperanças

A Liga arranca esta sexta-feira, com o Famalicão - Benfica (19h, SportTV1) e a Tribuna Expresso oferece-lhe um guia, equipa a equipa, por ordem de classificação do último campeonato. Encontrará os nomes dos treinadores, dos jogadores contratados e vendidos, as táticas e os objetivos de cada um dos clubes. Para guardar

Diogo Pombo e Lídia Paralta Gomes

O FC Porto de Sérgio Conceição agarrou-se ao troféu de campeão nacional em 2019-20 e manda a tradição dizer que isto faz dos portistas os favoritos ao título

Octavio Passos

Partilhar

FC Porto

Treinador: Sérgio Conceição

Entradas: Cláudio Ramos (Guarda-redes/Tondela), Carraça (Defesa/Boavista), Zaidu (Defesa/Santa Clara), Evanilson (Avançado/Fluminense), Taremi (Avançado/Rio Ave)

Saídas: Vitinha (Médio/Wolverhampton) e Fábio Silva (Avançado/Wolverhampton)

Tática: 4x4x2

Objetivos: Numa tentativa de equilibrar contas, o FC Porto vendeu duas das pérolas da formação, Vitinha e Fábio Silva, e apostou em contratações no mercado interno (com exceção para Evanilson, que chega do Fluminense). Face ao defeso do maior rival, o FC Porto não será, no papel, o favorito número 1 ao título nacional, mas os dois campeonatos conquistados por Sérgio Conceição mostram que nem sempre a lógica prevalece - a lógica das finanças e das maiores soluções, leia-se. Logo, os objetivos do FC Porto são inalterados: vencer o campeonato, Taça de Portugal e Taça da Liga. E lá fora tentar chegar o mais longe possível na Liga dos Campeões.

Benfica

Treinador: Jorge Jesus

Entradas: Helton Leite (Guarda-redes/Boavista), Vertonghen (Defesa/Tottenham), Gilberto (Defesa/Fluminense), Pedrinho (Médio/Corinthians), Everton Cebolinha (Avançado/Grémio), Waldschmidt (Avançado/Friburgo), Darwin Nuñez (Avançado/Almería)

Saídas: Zlobin (Guarda-redes/Famalicão), Zivkovic (PAOK/Grécia)

Tática: 4x4x2

Objetivos: O regresso de Jorge Jesus à Luz e um defeso em que o Benfica não só bateu o recorde de transferências em Portugal, com Darwin Nuñez, como trouxe outros nomes de peso, como o belga Vertonghen, o internacional alemão Waldschmidt e o internacional brasileiro Everton Cebolinha, torna simples dar um nome aos objetivos do Benfica para esta temporada: cá dentro, ganhar tudo.

Sp. Braga

Treinador: Carlos Carvalhal

Entradas: Nico Gaitán (Médio/Lille), Lukas Hornicek (Guarda-redes/Pardubice), André Castro (Médio/Göztepe), Guilherme Schettine (Avançado/Santa Clara), Al Musrati (Médio/Rio Ave), Zé Carlos (Lateral/Leixões), Iuri Medeiros (Extremo/Nuremberga).

Saídas: Francisco Trincão (Extremo/Barcelona), Ahmed Hassan (Avançado/Olympiakos), Alef (Médio/Fehérvar), WIlson Eduardo (Extremo/Al-Ain), Bruno Wilson (Defesa/Tenerife), Nikola Stojiljkovic (Avançado/Farense), Pablo Santos (Defesa/Hatayspor), Luther Singh (Extremo/Paços de Ferreira), João Palhinha (Médio/Sporting), Wallace (Defesa/Lazio).

Tática: 3x4x3

Objetivos: Tendo o treinador que tem, sendo o clube que é, havendo por lá os jogadores que há, manter o terceiro lugar, ou acabar em quarto, será o mínimo que estará na cabeça de quem manda em Braga, mesmo que da boca de Carlos Carvalhal, como ele já o disse, nada de exigências concretas sairá. O técnico retornou ao clube energizado, de reputação restaurada e perfumado com a fama de futebol atacante, atrativo, cheio de bola e muito capaz de criar oportunidades de golo, como o mostrou no Rio Ave. E decidido está em mostrá-lo agora no clube da sua terra, que tem outras ambições. A gracinha de ficar, outra vez, à frente de um grande pode não ser assim tão descabida, muito menos com gente como Gaitán, Paulinho, os manos Horta ou Iuri Medeiros, que podem muito produzir sob os conceitos de jogo do treinador. Restam dúvidas na linha defensiva, onde poderão faltar nomes frescos e velozes no controlo da profundidade, mas este Braga, pelo menos, promete elevar a fasquia.

Sporting

Treinador: Rúben Amorim

Entradas: Pedro Gonçalves (Médio/Famalicão), Zouhair Feddal (Defesa/Real Bétis), Nuno Santos (Extremo/Rio Ave), Vitorino Antunes (Lateral/Getafe), Antonio Adán (Guarda-redes/Atlético de Madrid), Pedro Posso (Lateral/Girona).

Saídas: Marcos Acuña (Extremo/Sevilha), Mattheus Pereira (Extremo/West Bromwich), Gelson Dala (Avançado/Rio Ave), Rodrigo Battaglia (Médio/Alavés), Francisco Geraldes (Médio/Rio Ave), Eduardo Henrique (Médio/Crotone), Jérémy Mathieu (Defesa/Fim de Carreira).

Tática: 3x4x3

Objetivos: No turbilhão instável que é o Sporting, tão difícil de estabilizar, difícil também é prever o que seja. Com Rúben Amorim a equipa teve, no final da época passado, boas pequenas fases, mas, com uma equipa pouco reforçada e pouquíssimo em zonas do campo para criar e definir jogadas. A equipa, nos jogos de pré-época, não deu grandes mostras, por exemplo, de introduzir variações e novas formas de saída de bola em relação ao que já se vira e, como tal, o Sporting pode arriscar-se a ser um conjunto demasiado previsível e encravado em si próprio, apesar das boas ideias do treinador. Ficar entre os três primeiros lugares será, à partida, uma escalada condizente com o que a teoria deixa antever.

RIO AVE

Treinador: Mário Silva

Entradas: Léo Vieira (Guarda-redes/At. Paranaense), Ivo Pinto (Defesa/Famalicão), Nando Pijnaker (Defesa/Grasshoppers), Francisco Geraldes (Médio/Sporting), Ryotaro Meshino (Médio/Hearts), Gelson Dala (Avançado/Sporting), André Pereira (Avançado/FC Porto), Gabrielzinho (Avançado/Moreirense)

Saídas: Paulo Vítor (Guarda-redes/Desp. Chaves), Diogo Figueiras (Defesa), Messias (Defesa/At. Mineiro), Al Musrati (Médio/Sp. Braga), Nuno Santos (Extremo/Sporting), Mehdi Taremi (Avançado/FC Porto)

Tática: 4x3x3

Objetivos: Quais são os objetivos de uma equipa que acaba de fazer o melhor campeonato da sua história? Bem, pelo menos fazer igual, mesmo que pelo caminho se tenha perdido o treinador (Carlos Carvalhal) e dois dos melhores jogadores do plantel (Nuno Santos e Taremi). A ambição europeia do Rio Ave mantém-se em 2020/21, ainda que esta temporada essa prometa ser uma das mais equilibradas lutas do campeonato. Mário Silva aparece aqui, no entanto, como uma incógnita: nunca treinou na I Liga, mas traz no currículo um título da Youth League com o FC Porto.

Famalicão

Treinador: João Pedro Sousa

Entradas: Ivan Zlobin (Guarda-redes/Benfica), Dani Morer (Defesa/Barcelona B), Srdan Babic (Defesa/Estrela Vermelha), Nemanja Perovic (Defesa/Iskra Danilovgrad), Calvin Verdonk (Defesa/Twente), Henrique Trevisan (Defesa/Ponte Preta), Alexandre Penetra (Defesa/Benfica), Abdul (Defesa/Chaves), Joaquín Pereyra (Médio/Rosario Central), Andrija Lukovic (Médio/Rakow), Bruno Jordão (Médio/Wolverhampton), Diego Batista (Médio/Benfica), Fernando Valenzuela/Barracas Central), Jhonata Robert (Avançado/Grémio)

Saídas: Vaná (Guarda-redes/FC Porto), Rafael Defendi (Guarda-redes/Farense), Roderick (Defesa/Wolverhampton), Ivo Pinto (Defesa/Rio Ave), Álex Centelles (Defesa/Valencia), Nehuén Pérez (Defesa/At. Madrid), Coly (Defesa/Nice), Cissé (Defesa/Châteauroux), Pedro Gonçalves (Médio/Sporting), Uros Racic (Médio/Valencia), Fábio Martins (Médio/Sp. Braga), Diogo Gonçalves (Avançado/Benfica), Schiappacasse (Avançado/At. Madrid)

Tática: 4x2x3x1

Objetivos: É possível que a continuidade de João Pedro Sousa seja mesmo o grande reforço do Famalicão para a nova época. Depois de na temporada passada ter sido a equipa sensação da liga, a equipa minhota, como já seria de esperar, perdeu boa parte da sua espinha dorsal. Pedro Gonçalves foi transferido para o Sporting e jogadores como Nehuén Pérez, Uros Racic, Fábio Martins ou Diogo Gonçalves regressaram aos seus clubes de origem. Assim, o Famalicão arranca para 2020/21 praticamente com uma equipa nova. O que poderão fazer esta temporada ainda parece uma incógnita, mas se olharmos para a inegociável ideia de jogo de João Pedro Sousa, ninguém ficaria surpreendido com época de grande nível. Face ao investimento de outros emblemas, lutar pela Europa poderá ser tarefa hercúlea, mas não se esperará menos do Famalicão que uma época tranquila.

V. Guimarães

Treinador: Tiago Mendes

Entradas: Ricardo Quaresma (Extremo), Jacob Maddox (Médio/Chelsea), Jonas Carls (Lateral/Schalke 04), Pepelu (Médio/Levante), Bruno Varela (Guarda-redes/Benfica), Sílvio (Lateral/V. Setúbal), Lyle Foster (Avançado/AS Monaco), Jorge Fernandes (Defesa/FC Porto), Noah Jean Holm (Avançado/RB Leipzig), Abdul Mumin (Defesa/Nordsjaelland), Nélson Luz (Extremo/1.º Agosto), Gideon Mensah (Lateral/RB Salzburg), Jung Min-Kim (Médio/Liefering), Yann Aurel Bisseck (Defesa/Colónia).

Saídas: Pêpê (Médio/Olympiakos), Davidson (Extremo/Alanyaspor), João Carlos Teixeira (Médio/Feyenoord), Douglas (Guarda-redes), Florent Hanin (Lateral/Paris FC), Guillermo Celis (Médio/Deportes Tolima), João Miguel Silva (Guarda-redes/APOEL Nicósia).

Tática: 4x3x3

Objetivos: Dito como foi a época passada, esta deverá passar pelo mesmo: a estrutura do Vitória quer cimentar o clube entre quatro, cinco melhores equipas da I Liga. E tem cimentado, também, a aposta em jovens vindos dos principais campeonatos europeus, cheios de potencial embora pouco experimentados, com poucas provas no futebol sénior, como o seu novo treinador, de quem muito pouco ou nada se conhece como técnico principal. Este novo Vitória é uma incógnita, mas, nos poucos jogos de preparação aos quais se pode espreitar, viu-se uma equipa forte na pressão e na reação à perda, que, com bola, terá talvez os extremos mais desequilibradores em Portugal no um para um: Ricardo Quaresma e Marcus Edwards. Há potencial para muito de atacante ser colocado a funcionar em Guimarães.

Moreirense

Treinador: Ricardo Soares

Entradas: Miguel Oliveira (Guara-redes/V. Guimarães), Mateus Pasinato (Guarda-redes/Piracicaba), Matheus Silva (Defesa/Bahia), Gonçalo Franco (Médio/Leixões), Erik Lacerda (Avançado/Académica), Kewin (Guarda-redes/Mirassol), Yan (Extremo/Palmeiras), Nahuel Ferraresi (Defesa/Manchester City), Pedro Amador (Lateral/Braga), Felipe Pires (Extremo/Hoffenheim).

Saídas: Iago Santos (Defesa/Taawon), João Aurélio (Lateral/Pafos), Nenê (Avançado/Leixões), Pedro Trigueira (Guarda-redes/Tondela), Elsinho (Médio/Beira-Mar), Caleb Comina (Avançado/Paredes), João Sousa (Defesa/Casa Pia), Nuno Macedo (Guarda-redes/Estoril), Ricardo Almeida (Avançado/Oleiros), Gabrielzinho (Extremo/Rio Ave), Luther Singh (Avançado/Paços de Ferreira), Nuno Santos (Médio/Boavista).

Tática: 4x3x3

Objetivos: Cumprir outro campeonato com conforto deverá ser o ideal, tendo acabado os dois anteriores com um 6.º e 8.º lugares, mas manter a bitola não será fácil, tendo em conta o poderio dos rivais do Minho, a expectável manutenção do Famalicão e do Rio Ave lá em cima e, agora, das expetativas que se forma em torno do Boavista. Este Moreirense de Ricardo Soares deverá prosseguir com a vontade em ter a bola, ser vertical e explorar muito os corredores para chegar rapidamente à baliza.

SANTA CLARA

Treinador: Daniel Ramos

Entradas: Mikel Vilanueva (Defesa/Málaga), Mansur (Defesa/São Bento), Júlio Romão (At. Paranaense), Gustavo Viera (Avançado/Liverpool Montevideo), Jean Patric (Avançado/Ac. Viseu), André Mesquita (Avançado/Marítimo B), Shahriar Moghanlou (Avançado/Paykan)

Saídas: César (Defesa/Farense), Zaidu (Defesa/FC Porto), Mamadu Candé (Defesa), Francisco Ramos (Médio/V. Guimarães), Pablo (Avançado/Guarani), Zé Manuel (Avançado), Guilherme Schettine (Avançado/Sp. Braga)

Tática: 4x2x3x1

Objetivos: O Santa Clara chega a 2020/21 depois da sua melhor época de sempre, em classificação (9.º lugar) e em pontos, mas repetir a gracinha parece complicado. Os açorianos perderam algumas peças de qualidade, como Zaidu ou Schettine, e treinador João Henriques, pelo que o objetivo primordial será sempre garantir a permanência.

Gil Vicente

Treinador: Rui Almeida

Entradas: João Talocha (Lateral/Riga), Tim Hall (Defesa, Karpaty), Antoine Leautey (Médio/Chamois Niort), Leandrinho (Médio/Botafogo), Lucas Mineiro (Médio/Chapecoense), Miullen (Avançado/Londrina), Daniel Fuzato (Guarda-redes/AS Roma), Joel Pereira (Defesa/Omónia Nicósia), Souleyman Aw (Defesa/Béziers), Boubacar Hanne (Avançado/Wolves), Kanya Fujimoto (Avançado/Tokyo Verdy), Guilherme Mantuan (Médio/Corinthians).

Saídas: Rúben Ribeiro (Extremo/Hatayspor), Fernando Fonseca (Lateral/Paços de Ferreira), Alex Pinto (Defesa/Benfica B), Bozhidar Kraev (Médio/Midtjylland), Zakaria Naidji (Avançado/Paradou), Yves Baraye (Extremo/Parma), Sandro Lima (Avançado/Anapólis), Arthur Henrique (Defesa/Ferroviária).

Tática: 3x4x3

Objetivos: Entrando e saindo tanta gente, rodando até o treinador, é quase um voltar ao zero do Gil Vicente, embora um zero mais gordo, sustentado e experiente, pois há jogadores importantes que ficam (Rúben Fernandes, Laurency, Claude Gonçalves, Hugo Vieira) e têm rodagem de I Liga para ajuda a equipa e, também, Rui Almeida, que terá a primeira experiência como treinador principal no campeonato, após os quatro anos em França que teve ao cortar o cordão umbilical como adjunto de Jesualdo Ferreira. A manutenção deverá ser o foco dos gilistas.

Marítimo

Treinador: Lito Vidigal

Entradas: Marcelo Hermes (Lateral/Cruzeiro), Nuno Cardoso (Médio/Sporting B), Rafik Guitane (Médio/Rennes), Rúben Macedo (Extremo/D. Aves), Ali Alipour (Avançado/Persepolis), Caio Secco (Guarda-redes/Feirense), François-Xavier Tamuzo (Extremo/Béziers).

Saídas: João Gamboa (Médio/Estoril), Erivaldo (Médio/Beroe), Fabricio Baiano (Médio/Rizespor).

Tática: 4x3x3

Objetivos: Para uma equipa que anda ali, todos os anos, a tentar beliscar a Europa, acabar em 11.º, faz desta uma época necessariamente de retalização, de melhoramento, e para isso o Marítimo escolheu Lito Vidigal, treinador das obras trabalhosas, que faz por organizar as equipas lá atrás, linhas compactas e coesas, tapando os espaços e anulando os fortes dos outros para, depois, sair em transições rápidos e tentar lançar as reações logo na profundidade. Pela tradição, é isso que se pode esperar. Veremos se dará para mais do que uma vida tranquila a meio da tabela.

Boavista

Treinador: Vasco Seabra

Entradas: Léo Jardim (Guarda-redes/Lille), Ricardo Mangas (Defesa/Aves), Hamache (Defesa/Red Star Paris), Alejandro Gómez (Defesa/Atlas), Jackson Porozo (Defesa/Santos), Nathan (Defesa/Vasco da Gama), Adil Rami (Defesa/FK Sochi), Chidozie (Defesa/FC Porto), Reggie Cannon (Defesa/FC Dallas), Javi García (Médio/Bétis), Show (Médio/Belenenses SAD), Angel Gomes (Médio/Lille), Nuno Santos (Médio/Benfica), Sebastián Pérez (Médio/Boca Juniors), Benguché (Avançado/Olímpia)

Saídas: Helton Leite (Guarda-redes, Benfica), Carraça (Defesa/FC Porto), Lucas (Defesa/Portimonense), Marlon (Defesa/Fluminense), Neris (Defesa/Al Wasl), Fabiano (Defesa/Palmeiras), Ricardo Costa (Defesa/terminou carreira), idris (Médio/Sem clube), Obiora (Médio/Sem clube), Ackah (Médio/Kayserispor), Mateus (Avançado/Penafiel), Fernando Cardozo (Avançado/Olímpia), Heriberto (Avançado/Brest), Stojiljkovic (Avançado/Farense), Cassiano (Avançado/FC Vizela)

Tática: 4x4x2

Objetivos: A nova temporada traz uma revolução total no Boavista. O investimento de Gerard López permitiu ao clube do Bessa fazer algumas contratações de peso, como as de Javi García, Sebastián Pérez ou do promissor Reggie Cannon. Outras mais mediáticas, como as do campeão do Mundo pela França, Adil Rami. Mas a mudança começou desde logo no treinador, com a aposta em Vasco Seabra, com um perfil diferente do que estamos habituados a ver no sempre aguerrido Boavista. Habituemo-nos, pois, a ver um Boavista com uma proposta ofensiva e a querer ter bola. Talvez seja ainda demasiado ambicioso colocar os axadrezados na luta pela Europa já este ano, mas tudo o que não seja um campeonato tranquilo será uma desilusão.

Paços de Ferreira

Treinador: Pepa

Entradas: Martín Calderón (Médio/Real Madrid Castilla), Jordi (Guarda-redes/Vasco da Gama), Pedro Martelo (Avançado/Fabril), Bruno Costa (Médio/FC Porto), Lucas Silva (Extremo/Flamengo), Luther Singh (Extremo/Braga), João Pedro (Avançado/V. Guimarães), Michael (Guarda-redes/Vasco da Gama), David Sualehe (Lateral/Vitória), Samuel Silveira (Extremo/Central Coast Mariners), Fernando Fonseca (Lateral/Gil Vicente).

Saídas: Pedrinho (Médio/Riga), André Micael (Defesa/Varzim), Bruno Santos (Lateral/AEL Limassol), Bruno Teles (Lateral/Académica), Sodiq Fatai (Extremo/Varzim), Uilton (Extremo/Anápolis), Gonçalo Gregório (Avançado/Sosnowiec).

Tática: 4x3x3

Objetivos: A equipa de Pepa foi das melhores no pós-confinamento, com muita chegada à baliza e jogadas a serem construídas com pés e cabeça, portanto, se mantiver essa forma e dinâmica, deverá fazer um campeonato tranquilo, muito à boleia do que Stephen Eustáquio e João Amaral conseguirem dar ao jogo do Paços, com bola. Com este treinador, os de amarelo são das equipas mais organizadas da liga no momento defensivo.

Tondela

Treinador: Paco Ayestarán

Entradas: Salvador Agra (Extremo/Légia de Varsóvia), João Mendes (Médio/Académica), Rafael Barbosa (Médio/Estoril Praia), Pedro Trigueira (Guarda-redes/Moreirense), Bebeto (Lateral/Marítimo), Jaume Grau (Médio/Osasuna), Mario González (Avançado/Villarreal),

Saídas: Cláudio Ramos (Guarda-redes/FC Porto), António Xavier (Extremo/Panathinaikos), Ricardo Valente (Avançado), Philipe Sampaio (Defesa/Guingamp), João Vigário (Lateral/Nacional), Marko Petkovic (Lateral), João Reis (Médio/Chaves), Pité (Médio).

Tática: 4x3x3

Objetivos: Há dois anos seguidos a salvar-se na última jornada e com quatro contados a guerrear pela manutenção, o Tondela manteve a aposta num treinador espanhol, perdeu o capitão e principal figura (Cláudio Ramos) e a referência que movia a bola nos momentos ofensivos (Pepelu), mas ganhou João Mendes, médio que, com os pés de veludo e a capacidade de criação aliadas à vontade que Ayestarán parece ter em incutir um futebol apoiado (na medida possível), poderá fazer a equipa respirar mais à vontade ao longo da época. Pelo menos contra adversários da sua metade da tabela.

B-SAD

Treinador: Petit

Entradas: Henrique (Defesa/Al Ittihad Kalba), Bruno Ramires (Médio/Feirense), Afonso Taira (Médio/Hermannstadt), Afonso Sousa (Médio/FC Porto B), Cauê (Médio/Albirex Niigata), Miguel Cardoso (Avançado/Dinamo Moscovo)

Saídas: Hervé Koffi (Guarda-redes/Mouscron), Filipe Mendes (Guarda-redes/Real Massamá), Ricardo Ferreira (Defesa/Sem clube), Nuno Coelho (Defesa/Chaves), Show (Médio/Boavista), Nuno Pina (Médio/Grasshoppers), André Santos (Médio/Grasshoppers), Kikas (Avançado/DOXA), Licá (Avançado/Sem clube), Marco Matias (Avançado/Sem clube), Keita (Avançado/Sem clube)

Tática: 4x3x3

Objetivos: Com um dos orçamentos mais baixos da liga, ao que se junta a saída de vários elementos importantes, como o guarda-redes Koffi, os defesas Nuno Coelho e Ricardo Ferreira, o médio André Santos e o avançado Licá, os objetivos do Belenenses SAD serão modestos e passarão por garantir a permanência

Portimonense

Treinador: Paulo Sérgio

Entradas: Rafael Aflalo (Guarda-redes/D. Aves), Welinton Júnior (Avançado), Júlio César (Extremo/Atlético Goianiense), Reko Silva (Médio/D. Aves), Jonathan Monteiro (Defesa/Cruzeiro B), Fabrício (Avançado/Urawa Reds), Maurício Antônio (Defesa/Urawa Reds), Lucas Tagliapietra (Defesa/Boavista).

Saídas: Jackson Martínez (Avançado), Carlos Henrique (Guarda-redes/Mafra), Bruno Costa (Médio/Paços de Ferreira), Jean Filipe (Lateral/Sp. Covilhã), Brendon Estevam (Defesa/Leixões), Gleison (Avançado/Sp. Covilhã).

Tática: 4x3x3

Objetivos: O Portimonense era aquela equipa que transpirava a sensação de não render o que devia, coletivamente, com tantos indivíduos bons de bola e de qualidade que tinha no plantel. Essa noção não mudou assim tanto com Paulo Sérgio, que desceu com a equipa, mas que afinal se manteve com ela na primeira divisão, fruto da decisão da Liga de Clubes em despromover o Vitória de Setúbal. Já não terá Jackson Martínez, a alma da equipa que jogava contra a dor, mas mantém praticamente todo o onze no qual se baseou durante a época passada.

Nacional

Treinador: Luís Freire

Entradas: Gergely Bobál (Avançado/ Zalaegerzseg), Rui Encarnação (Guarda-redes/Machico), João Vigário (Lateral/Tondela), Larry Azouni (Médio/Kortrijk), Rúben Freitas (Lateral/Mafra), Riccardo Piscitelli (Guarda-redes/Dínamo Bucareste), Vincent Koziello (Médio/Colónia), Vincent Thill (Médio/Metz), Pedrão (Defesa/Palmeiras).

Saídas: Kaká (Médio/Mafra), Diogo Coelho (Defesa/Vilafranquense), Felipe Lopes (Defesa), Nuno Campos (Lateral/Mafra), Geraldo (Médio/Muçulmana), Leonel Mosevich (Defesa/Argentinos).

Tática: 4x3x3

Objetivos: Regressado à I Liga, a prioridade passará sempre por garantir a permanência e, depois, logo se vê, mas muito se quererá ver de Luís Freire, treinador que terá a primeira experiência no principal campeonato. Tem, aos 34 anos, seis subidas de divisão no currículo, um carinho por futebol atrativo, ofensivo e por pressionar alto e intensamente, para provocar o erro no adversário. E já o disse que pretende manter os madeirenses a jogar desta forma.

Farense

Treinador: Sérgio Vieira

Entradas: Rafael Defendi (Guarda-redes/Famalicão), Ricardo Velho (Guarda-redes/Sp. Braga), Cláudio Falcão (Defesa/Aves), Alex Pinto (Defesa/Gil Vicente), César (Defesa/Santa Clara), Abner (Defesa/Água Santa), Mancha (Defesa/Machine Sazi), Pedro Henrique (Médio/Feirense), Amine (Médio/Leixões), Mansilla (Avançado/V. Setúbal), Stojiljkovic (Avançado/Boavista), Madi Queta (Avançado/FC Porto)

Saídas: Daniel Fernandes (Guarda-redes/Tarxien), Miguel Carvalho (Guarda-redes/Sem clube), Rafael Vieira (Defesa/Académica), Savio Maciel (Defesa/Vila Nova), Luís Rocha (Defesa/Chaves), André Vieira (Médio/Varzim), Irobiso (Avançado/Varzim), Fabrício Simões (Avançado/Feirense)

Tática: 4x3x3

Objetivos: De regresso à 1.ª divisão do futebol nacional 18 anos depois, o Farense chega à I Liga com vontade de continuar entre os grandes mas um orçamento modesto. O objetivo principal passará sempre por garantir a permanência.