Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol nacional

“Quando percebi que só tinha um defesa, ataquei-o”: o relato de um golo, por Quaresma

Na época de regresso ao futebol português, o extremo, de 37 anos, assumiu que estava à "procura" do primeiro golo com a camisola vitoriana, algo que aconteceu no seu 13.º jogo, num lance individual em que ultrapassou o defesa Fábio Cardoso

Lusa

Partilhar

O internacional português Ricardo Quaresma afirmou hoje que espera marcar mais golos pelo Vitória de Guimarães, após se ter estreado a marcar pelo clube da I Liga portuguesa de futebol na segunda-feira, frente ao Santa Clara.

Na época de regresso ao futebol português, o extremo, de 37 anos, assumiu que estava à "procura" do primeiro golo com a camisola vitoriana, algo que aconteceu no seu 13.º jogo, num lance individual em que ultrapassou o defesa Fábio Cardoso e bateu o guarda-redes Marco Pereira com um remate cruzado, marcando o segundo tento na partida da 10.ª jornada, realizada em Ponta Delgada, que terminou 4-0.

"Quando percebi que só tinha um defesa, ataquei-o porque senti que tinha possibilidade de passar por ele e fazer o golo tão desejado. Era um golo que já estava à procura desde que cheguei aqui. Não digo que estava ansioso, mas estava com muita vontade de me estrear com um golo pelo Vitória. Estou feliz por isso e espero que seja o primeiro de muitos", recordou, em declarações aos meios do clube.

Eleito pelos adeptos vimaranenses o melhor em campo num jogo em que registou ainda duas assistências, para o primeiro golo, de André André, e para o quarto, de Oscar Estupiñán, Quaresma frisou que a equipa está com "alegria" e "confiança" face à série de três vitórias seguidas no campeonato, que lhe garantem o quinto lugar, com 19 pontos.

Para a série triunfal se prolongar, o jogador avisou que o Vitória tem de estar ao "melhor nível" quando receber, às 21:00 de terça-feira, o FC Porto, clube que representou entre 2004 e 2008 e, depois, entre 2013 e 2015, tendo conquistado três edições da I Liga, uma Taça de Portugal, duas Supertaças e uma Taça Intercontinental, com um registo individual de 50 golos em 225 jogos oficiais.

"Estamos preparados para o que aí vem, neste caso o jogo com o FC Porto, um jogo complicado contra uma grande equipa. Sabemos que temos de estar ao nosso melhor nível para poder ganhar os três pontos que é o que nos interessa", afirmou, perspetivando o embate com o terceiro classificado da I Liga, com 22 pontos.

Quaresma realçou ainda que a formação minhota, apesar de "muito jovem", com "jogadores novos" que "ainda não conheciam bem o campeonato português", "está a subir de rendimento" e elogiou o trabalho do treinador João Henriques, responsável pelo plantel desde meados de outubro, após ter substituído Tiago Mendes, que se demitiu do cargo.

"Aquilo que o treinador nos pede é que possamos desfrutar do futebol, obviamente com aquilo que pretende para a equipa. Acho que ele tem feito um trabalho fantástico, porque a equipa está a crescer e isso nota-se. A equipa está a evoluir cada vez mais e acredito que podemos fazer muito mais do que temos vindo a fazer", antecipou.

Depois de passagens por Sporting, Barcelona, Inter de Milão, Chelsea, os turcos do Besiktas e do Kasimpasa, bem como o Al-Ahli, dos Emirados Árabes Unidos, Quaresma admitiu nunca ter pensado que, aos 37 anos, iria jogar pelo Vitória, mas disse estar "feliz" em Guimarães, alimentando a expectativa de ver novamente o Estádio D. Afonso Henriques com adeptos.

"A adaptação tem sido fantástica. Tenho pena que ainda não possa sentir os adeptos no estádio, porque já joguei muitas vezes contra o Vitória, com o D. Afonso Henriques cheio, num ambiente fantástico. Tenho saudades de ver este estádio cheio para sentir esse apoio dos adeptos. Espero que não falte muito para que possam vir", realçou.