Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol nacional

João Henriques: "É frustrante, porque isto é fruto da imaturidade da equipa. Uma equipa mais madura hoje ganhava o jogo"

O treinador do Vitória defendeu, após a derrota (2-3) com o FC Porto num jogo em que esteve a vencer por duas vezes, que os dois últimos golos sofridos se deveram à imaturidade da equipa, que "permitiu ao adversário conseguir aquilo que queria"

Tribuna Expresso

Octavio Passos/Getty

Partilhar

A derrota

"É frustrante, porque isto é fruto da imaturidade da equipa. Uma equipa mais madura hoje ganhava o jogo. É evidente que uma equipa que chega à vantagem na segunda parte e, praticamente no lance seguinte, deixa que aconteça o empate, é revelador do crescimento desta equipa que ainda está numa fase precoce. Contra estas equipas, os erros de posicionamento e de matreirice que é preciso ter em algumas situações, fazem com que não saia daqui com pontos, que era inteiramente merecido pelo trabalho tático-estratégico feito perante um adversário difícil.

Tirando o primeiro golo, que é um erro de deixarmos a bola aberto para o Sérgio Oliveira a colocar em profundidade, todos os golos seguintes que sofremos são situações fruto da imaturidade da equipa e isso paga-se caro contra equipas deste nível. Já no Estádio da Luz aconteceu a mesma coisa, estávamos em vantagem e permitimos ao adversário conseguir aquilo que queria.

A análise ao que foi feito

Estamos satisfeitos só com uma coisa: esta equipa bateu-se de frente, olhos nos olhos, com o campeão nacional em título e está pronta para todos os duelos que aí vêm. Sabemos que esta maturidade que queremos vem com os minutos, com os jogos e com a aprendizagem que temos em cada um.

Hoje, o Vitória foi uma equipa a saber ler desde o primeiro minuto como agredir o adversário nos momentos certos. Permitiu durante a maior parte do tempo ao adversário ter bola, mas sem conseguir grandes oportunidades de finalização. Teve remates para fora, para a bancada, tentativas de cruzamentos intercetados. Depois, soubemos o que fazer com bola, fizemos golos... Podemos retirar daqui pontos positivos.

A equipa esteve bem, no global. A substituição [de centrais] não foi planeada, queríamos ter tido essa última alteração para outras coisas. Quando colocamos o Marcus [Edwards] para arriscar e ir buscar os três pontos, nesse mesmo lance sofremos o terceiro golo. Gostaríamos de sair daqui mais felizes, porque merecíamos, a equipa tem vindo a crescer e vínhamos de uma sequência de três jogos muito bons a ganhar e não podíamos perder aqui.

Mas temos vindo a crescer. Há dois meses a equipa não teria conseguido fazer o jogo que fez aqui. Ainda temos alguns laivos de imaturidade, que custam caro contra equipas como o FC Porto."

Foi buscar Estupiñán à equipa B

"O nosso trabalho é isso mesmo, tentar potenciar os ativos do clube. Sendo o Óscar um dos ativos do clube, integrou-se muito bem na equipa A, mostrou que podia a ajudar e ser uma mais-valia. O projeto engloba muita gente e queremos potenciar esses ativos. Temos vinda a integrar vários jogadores da equipa B. O Óscar vai continuar a ajudar, tem sido útil para o que queremos da equipa atualmente, hoje era o seu aniversário e merecia ter dado pontos aos vitorianos.

Queremos andar mais perto dos quatro da frente do que estar a pensar nos que vem atrás. Vamos continuar. Já estamos a pensar no próximo jogo contra o Nacional, já no dia 3 [de janeiro], em que vamos voltar às vitórias."