Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Onde vai o líder não vai mais ninguém

Numa deslocação à Madeira tradicionalmente difícil, o Sporting dominou tranquilamente o Marítimo, venceu por 2-0 e cimentou a liderança da Liga portuguesa, ganhando pontos ao FC Porto e ao Benfica, no final da 1.ª volta da prova

tribuna expresso

HOMEM DE GOUVEIA

Partilhar

Paulinho, Paulinho, Paulinho. Muito se falou esta semana no reforço mais caro da história do Sporting e ele foi, como já se esperava, titular na Madeira, por troca com Tiago Tomás, que começou no banco. À esquerda, sem Nuno Mendes, que ficou a descansar em Lisboa, jogou Antunes, no meio, o regresso de Palhinha à titularidade, no lugar do lesionado João Mário, e a quarta e última alteração no habitual onze de Rúben Amorim foi a entrada de Inácio, para o lugar de Neto, que ficou de fora por ter levado o quinto amarelo.

De resto, Adán, Coates, Feddal, Porro, Antunes, Matheus Nunes, Pedro Gonçalves e Nuno Santos mantiveram-se a titulares e o que é certo é que, mesmo com as alterações, este foi o Sporting do costume nesta época 2020/21: seguro, consciente das suas forças e fraquezas e, no caso concreto, claramente superior ao Marítimo.

Logo a entrar, Antunes esteve perto de marcar, após assistência de Paulinho, avançado que bem procurou o golo durante o jogo, com a primeira tentativa que teve, de cabeça, a cruzamento de Porro, a sair ao lado.

Com o Sporting sempre por cima, o golo não demoraria muito a surgir: aproveitando um belo passe longo de Inácio, Pedro Gonçalves desmarcou-se nas costas da defensiva do Marítimo e desviou a bola de um precipitado Amir, que saiu da área mas não conseguiu intercetar o lance.

A vantagem dava conforto ao Sporting e permitia-lhe dominar o jogo sem sobressaltos, perante um Marítimo que tinha como estratégia tentar aproveitar os erros alheios. O problema é que, esta noite, ao contrário do que aconteceu há quase um mês, para a Taça de Portugal, o Sporting raramente errou, não permitindo grandes devaneios à equipa da casa, que, recorde-se, eliminou os sportinguistas da Taça, ao vencer por 2-0.

Mas, esta noite, nem sequer se viu uma oportunidade de golo digna desse nome por parte dos madeirenses, que se limitaram a alguns remates tortos para fora da baliza - o guardião Adán não chegou a ser testado.

Na 2.ª parte, a história foi a mesma da 1.ª, com o Sporting a criar mais perigo e a controlar o jogo sem grandes problemas. Depois de um cruzamento de Nuno Santos, Paulinho quase marcava de calcanhar (como Ryan Gauld perante o Santa Clara), mas Amir estava no caminho da bola.

O golo que daria tranquilidade total ao líder surgiu aos 57', quando, após uma variação do corredor direito para o esquerdo, Antunes surgiu a cruzar para a área e Pote cimentou a liderança da tabela de melhores marcadores da Liga, bisando, com um remate de primeira.

Após o 2-0, o jogo não teve grande história, havendo apenas que notar a estreia de João Pereira pelo Sporting, nesta sua terceira vez no clube, por troca com Antunes.

A vantagem manteve-se até ao final e, além de ganhar ao Marítimo, pode mesmo dizer-se que o Sporting "ganhou" ao Benfica e ao FC Porto, já que ambos os rivais empataram e deixaram o líder escapar-se mais um bocadinho na liderança.

Assim, o Sporting é 1.º classificado com 45 pontos, o FC Porto é 2.º com 39, o Braga é 3.º com 36 e o Benfica é 4.º com 34 - sendo que a equipa de Jorge Jesus ainda pode ser alcançada pelo Paços de Ferreira, que ainda defronta esta noite o Tondela.

No final da 1.ª volta do campeonato, o Sporting é cada vez mais líder - como há muito não se via.