Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol nacional

APAF vai apresentar queixa-crime contra presidente do Boavista, que disse que o clube foi "espoliado, roubado e maltratado"

Vítor Murta queixou-se de que os axadrezados foram "roubados" pela equipa de arbitragem de Hélder Malheiro e a APAF não gostou

Lusa

FERNANDO VELUDO/LUSA

Partilhar

A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) vai apresentar uma queixa-crime contra o presidente do Boavista, que criticou o juiz Hélder Malheiro na derrota com o Gil Vicente (2-1), confirmou hoje à Lusa o presidente da estrutura.

"Posso dizer que a APAF irá enviar as declarações do presidente do Boavista para o Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e que irá também seguir uma queixa-crime", confirmou à agência Lusa o presidente da APAF, Luciano Gonçalves.

Com dois lances na mira, que resultaram num cartão amarelo ao médio Angel Gomes e no segundo golo do Gil Vicente, no jogo da 17.ª jornada da I Liga, disputado na sexta-feira, Vítor Murta queixou-se de que os 'axadrezados' foram "roubados" pela equipa de arbitragem de Hélder Malheiro.

"O Boavista foi espoliado, roubado e maltratado. Foi isso que aconteceu. Chegou a altura de pôr o dedo na ferida. São atitudes persecutórias contra o Boavista e é claro e inequívoco que ele esteve cá com o objetivo claro de prejudicar o Boavista", atirou o líder 'axadrezado', na sala de imprensa do Estádio do Bessa, após o jogo com o Gil Vicente.

"É uma vergonha o que aconteceu no Bessa"

Yves Baraye assinou o golo do triunfo minhoto aos 85 minutos, a passe de Pedro Marques, responsável, na visão do Boavista, por uma falta sobre o defesa colombiano Cristian Devenish, num lance que motivou a revisão das imagens do videoárbitro (VAR).

"Sei que vou ser castigado, mas chegou a altura de pôr o dedo na ferida. É uma vergonha o que aconteceu no Bessa. O Gil Vicente não tem culpa, mas está aos olhos de todos que o segundo golo é claramente precedido de falta. O VAR viu isso e chamou o árbitro, que decidiu fazer ouvidos moucos e olhos de cego", lamentou o presidente do Boavista.

Vítor Murta foi o único elemento do emblema portuense a comparecer na sala de imprensa, depois de os 'axadrezados' terem completado a primeira volta da I Liga na 16.ª e antepenúltima posição, com 14 pontos, um acima do lanterna-vermelha Farense.

O Boavista vai iniciar a segunda metade da edição 2020/21 da I Liga com a receção ao Nacional na terça-feira, às 19:00, no Estádio do Bessa, no Porto, num desafio da 18.ª jornada, com arbitragem de Fábio Melo, da associação do Porto.

Hélder Malheiro estava nomeado para dirigir o jogo entre Farense e Moreirense, na segunda-feira, relativo à mesma ronda do campeonato, mas foi substituído nas últimas horas por Iancu Vasilica no quadro de nomeações do Conselho de Arbitragem da FPF.