Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Boavista pede despenalização do duplo cartão amarelo de Javi García com Nacional

Médio foi expulso, tendo visto dois cartões amarelos de forma consecutiva, após um desentendimento com o defesa brasileiro Kalindi.

Partilhar

O Boavista pediu esta quinta-feira a despenalização dos dois cartões amarelos admoestados ao futebolista espanhol Javi García durante a derrota caseira frente ao Nacional (0-1), na terça-feira, em encontro da 18.ª jornada da I Liga.

Fonte do clube portuense confirmou à agência Lusa a entrega do pedido de despenalização do médio ao Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), a três dias da visita ao FC Porto, num dérbi portuense da 19.ª ronda.

Javi García foi expulso pelo árbitro Fábio Melo aos 74 minutos, tendo visto dois cartões amarelos de forma consecutiva, após um desentendimento com o defesa brasileiro Kalindi, que sentiu o ténue empurrão do capitão 'axadrezado' e caiu no relvado.

O lance foi abordado com incredulidade pela imprensa do país vizinho na quarta-feira, sendo classificado de "ridículo" pelo jornal catalão Sport, enquanto o madrileno As manifestou o peso do "teatro infame" do atleta madeirense na decisão do juiz portuense.

No final do desafio entre Boavista e Nacional, decidido com um autogolo do médio Nuno Santos aos 43 minutos, o treinador Jesualdo Ferreira já tinha lamentado na sala de imprensa do Estádio do Bessa o desenrolar atípico da temporada dos 'axadrezados'.

"Não é muito normal o que está a acontecer ao Boavista. Em todos os jogos, há sempre acontecimentos difíceis de explicar. Não tenho nada a apontar aos jogadores, mas há momentos em que é preciso mais serenidade e melhor capacidade de decisão", frisou.

As críticas das 'panteras' ao trabalho das equipas de arbitragem subiram de tom na sexta-feira, quando o presidente Vítor Murta queixou-se de ter sido "roubado" pelo juiz lisboeta Hélder Malheiro na derrota caseira frente ao Gil Vicente (1-2), da 17.ª jornada da I Liga.

"O Boavista foi espoliado, roubado e maltratado. Este senhor que pisou o relvado não tem qualidade e categoria para entrar no Bessa. Sei que vou ser castigado, mas chegou a altura de pôr o dedo na ferida. São atitudes persecutórias contra o Boavista", atirou.

A par do segundo golo minhoto, o dirigente contestou o quinto cartão amarelo exibido na prova ao médio inglês Angel Gomes, tendo solicitado na segunda-feira ao CD da FPF a despenalização da suspensão de um jogo, ainda que sem surtir efeitos em tempo útil.

A Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) confirmou no sábado à agência Lusa que ia apresentar uma queixa-crime contra Vítor Murta, alvo de uma suspensão de 15 dias pelo organismo disciplinar federativo, acrescida de uma multa de 561 euros.

O Boavista, 16.º e antepenúltimo classificado, com 14 pontos, um acima do lanterna-vermelha Farense, prepara a visita ao campeão nacional FC Porto, segundo, com 40, no sábado, às 20:30, no Estádio do Dragão, no Porto, num jogo da 19.ª jornada da I Liga.