Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol nacional

Conselho de Disciplina instaura processo a Pinto da Costa por "ofensas à honra de agentes de arbitragem"

Foi instaurado um processo disciplinar ao presidente portista, que falou em "complôs" contra o clube, e também a dois jogadores do Paços de Ferreira que violaram as regras do confinamento

lusa

JOSÉ COELHO

Partilhar

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) instaurou processos disciplinares ao presidente do FC Porto e a dois jogadores do Paços de Ferreira que violaram as regras de confinamento, anunciou hoje o órgão federativo.

De acordo com o comunicado emitido pelo CD, o presidente do clube portista, Pinto da Costa, é alvo de procedimento disciplinar devido a “declarações proferidas sob o enfoque das ofensas à honra ou consideração de agentes de arbitragem”, que levaram à apresentação de uma queixa por parte da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF).

Na semana passada, em entrevista ao Porto Canal, Pinto da Costa revelou que lhe disseram que havia “complôs” da FPF e da APAF para que o FC Porto B seja despromovido da II Liga, embora ressalvando que não acredita nessa hipótese e que o último lugar que os portistas ocupam no segundo escalão é consequência da “incompetência” dos árbitros.

“Mas o que é certo é que domingo após domingo o FC Porto perde pontos apenas por responsabilidade dos árbitros”, afirmou na altura.

João Pedro e David Suahele em festa

Os processos disciplinares instaurados aos jogadores do Paços de Ferreira João Pedro e David Suahele têm por base a “violação do compromisso assumido por todos os atletas e equipas técnicas pelo cumprimento das medidas de prevenção e controlo da infeção por SARS-CoV-2, previsto no Regulamento Covid-19 para a retoma da prática competitiva de futebol, futsal e futebol de praia”.

João Pedro foi um dos três detidos pela GNR na madrugada do último domingo, 21 de março, no âmbito de uma operação policial para pôr cobro a uma festa ilegal, que decorria numa vivenda alugada para o efeito, em Ofir, Esposende, durante a qual David Suahele foi identificado.