Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol nacional

Houve Paulinho mas não houve estrelinha

O Sporting teve os três pontos no bolso em Moreira de Cónegos, depois de um golo do regressado Paulinho, mas deixou-se empatar, já nos descontos (1-1), e viu a distância para os rivais encurtar

Tribuna Expresso

Octavio Passos

Partilhar

Depois de mais de um mês de fora por lesão, Paulinho voltou. Primeiro, voltou aos jogos, ao entrar frente ao Vitória de Guimarães, por 19 minutos, antes da paragem para as seleções; esta noite, voltou à titularidade, frente ao Moreirense, e marcou o golo... que não foi decisivo.

Na contagem decrescente para o final do campeonato, e do título que escapa desde 2002, o Sporting teve uma mão na vitória, mas deixou-a fugir nos últimos minutos, ao contrário do que tem sido habitual.

Esta noite novamente montado não no mais habitual 3-4-3 mas num sistema mais parecido a um 3-5-2, já que Palhinha, João Mário e Bragança foram novamente titulares no meio-campo, deixando mais à frente Paulinho e Pote, o Sporting entrou melhor em campo e foi quase sempre superior.

Já o Moreirense de Vasco Seabra, 8.º classificado da Liga, montava-se num 5-3-2 bem compacto, para tentar fechar os caminhos da sua baliza e sair rapidamente para o contra ataque sempre que possível - foi num lance assim que Rafael Martins se escapou nas costas da defesa do Sporting e, perante Adán, atirou ao lado, logo nos primeiros minutos.

A falta de eficácia da equipa da casa iria contrastar com a dos visitantes: encostado à direita, Daniel Bragança utilizou o pé esquerdo para cruzar a bola para o segundo poste da baliza do Moreirense, onde estava Paulinho para finalizar. À primeira, Pasinato ainda conseguiu defender, mas Paulinho insistiu e, na recarga, fez mesmo o seu primeiro golo oficial pelo clube, ao quinto jogo cumprido.

Aos 20', a vantagem confortava o Sporting, que ia dominando o jogo, mas haveria más notícias pouco depois: depois de um lance dividido com Franco, Nuno Mendes (sempre muito ofensivo nos minutos em que esteve em campo) foi derrubado e teve mesmo de sair lesionado - entrou então Matheus Reis para o lado esquerdo da defesa.

Ainda assim, o Sporting continuou a ser a equipa mais perigosa no ataque e, em cima do intervalo, Paulinho bisou, com uma bola picada por cima de Pasinato... mas o golo seria anulado, por fora de jogo do avançado.

Depois de um golo anulado a fechar a 1.ª parte, um golo anulado a abrir a 2.ª parte: na sequência de um canto, Matheus bombeou a bola para a área e Pote marcou... mas estava dois centímetros fora de jogo, alertou o videoárbitro.

Já com Tiago Tomás no lugar de Daniel Bragança, o Sporting foi passando a ter menos bola, apesar de ainda ter tido mais oportunidades para aumentar a vantagem, a mais clara delas na cabeça de Feddal, sozinho na área na sequência de um canto: a bola saiu ao lado da baliza.

Nos últimos minutos, a equipa de Vasco Seabra foi-se aproximando da área do líder e Rúben Amorim pressentiu o perigo, retirando Pote para colocar em campo Matheus Nunes, mas o Sporting acomodou-se mais atrás e acabaria mesmo por sofrer. Em cima dos 90 minutos, após um cruzamento largo de Conté, Feddal cortou a bola para os pés de Walterson e o jogador do Moreirense fez o empate com um excelente remate de fora da área.

Desta vez não houve estrelinha e não foi o Sporting a vencer nos últimos minutos: a equipa de Rúben Amorim viu, assim, a vantagem para os principais rivais encurtar, já que o líder tem 65 pontos, o FC Porto tem 57 e o Benfica tem 54. Faltam nove jogos para o final da Liga.