Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Conselho de Disciplina da FPF instaura processo ao empresário Pedro Pinho e suspende-o por 20 dias

O empresário de futebol que, na segunda-feira, terá agredido um repórter de imagem da TVI nas imediações do estádio do Moreirense, após o jogo com o FC Porto, foi castigado com uma suspensão preventiva pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, que deu conta, também, da instauração de um processo disciplinar

Tribuna Expresso

Partilhar

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) instaurou um processo disciplinar a José Pedro Silva Maia Pinho, o empresário de futebol que, na segunda-feira, alegadamente agrediu um repórter de imagem da TVI após o Moreirense-FC Porto.

Em paralelo, o órgão federativo aplicou uma suspensão preventiva com o prazo de 20 dias (o máximo previsto pelos regulamentos), anunciou, esta quinta-feira, em comunicado no qual também deu conta de que o processo "foi enviado à Comissão de Instrutores da Liga Portuguesa de Futebol Profissional".

Pedro Pinho é um agente de jogadores que não representa oficialmente, nem está ligado por contrato ao FC Porto, embora já tenha participado em vários negócios de futebolistas com o clube. Esteve presente na partida de segunda-feira por o Moreirense lhe ter concedido um dos oito convites a que cada clube tem direito, de acordo com os regulamentos da Liga.

No mesmo comunicado, o órgão da FPF indicou a instauração de um processo disciplinar a Francisco J. Marques, diretor de comunicação do FC Porto, "na sequência de participação apresentada pela Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, tendo por objeto declarações proferidas na comunicação social, sob o enfoque das ofensas à honra ou consideração de agentes desportivos".