Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol nacional

"A sua dimensão humana fez de Neno um cidadão de corpo inteiro": Parlamento aprova voto de pesar pela morte do guarda-redes

O texto, apresentado por PS, PSD e PEV, recorda conhecido como Neno como “uma figura nacional no desporto, na intervenção artística e nas causas sociais”

Lusa

JOÃO PAULO TRINDADE/LUSA

Partilhar

O parlamento aprovou esta quinta-feira, por unanimidade, um voto de pesar pela morte do antigo guarda-redes Neno, que morreu em 10 de junho aos 59 anos.

Adelino Augusto Graça Barbosa de Barros, nascido em Cabo Verde, conhecido na vida pública nacional por Neno, residia em Guimarães há 37 anos e permanentemente nos últimos 26.

O texto, apresentado por PS, PSD e PEV, recorda conhecido como Neno como “uma figura nacional no desporto, na intervenção artística e nas causas sociais”.

“A sua dimensão humana fez de Neno um cidadão de corpo inteiro, que colocava a sua notoriedade, influência e talento ao serviço da sua comunidade. Foi uma figura que todos e todas estimavam, admiravam, acarinhavam”, destacam os deputados.

O voto refere que a morte de Neno tocou toda a sociedade portuguesa, “mas marcadamente o concelho de Guimarães”, com milhares de pessoas a acompanharem as suas cerimónias fúnebres.

“Neno vai fazer muita falta. À sua família, à sua filha, ao seu clube, aos vitorianos, mas à sociedade, vimaranense e nacional, em geral”, referem.

Natural da Cidade da Praia, em Cabo Verde, Adelino Barros, conhecido como Neno no futebol, formou-se no Barreirense e representou Vitória de Guimarães, Benfica e Vitória de Setúbal, tendo contabilizado nove internacionalizações com a camisola da seleção nacional.