Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol nacional

António Costa foi questionado sobre o Cartão do Adepto: “Vou-me inteirar dessa realidade. Francamente, não estou em condições de responder”

Em resposta à intervenção de João Cotrim de Figueiredo, deputado da Iniciativa Liberal, durante o debate sobre política geral com a presença do Primeiro-Ministro na Assembleia da República, António Costa admitiu que se vai informar sobre o Cartão do Adepto, que entrou em vigor esta época

Diogo Pombo

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Partilhar

"Parece que os adeptos de futebol são todos uns bandidos. Resultado disto tudo: uma enorme confusão."

João Cotrim de Figueiredo foi o último deputado a utilizar o seu tempo durante o debate com o Governo sobre política geral, ocorrido esta quinta-feira na Assembleia da República, com a presença do Primeiro-Ministro. O deputado único da Iniciativa Liberal (IL) resolveu preenchê-lo com um tema que descreveu, no arranque, como "algo completamente diferente".

O Cartão do Adepto, medida que entrou em vigor, esta época, no futebol português, já amplamente criticada por grande parte dos clubes da I Liga e respetivos dirigentes.

Na sua intervenção, Cotrim de Figueiredo criticou a medida, defendendo que prova "estigmatização e discriminação" dos adeptos de futebol: "Nos últimos três meses, o Governo deu um exemplo da forma como gosta de tratar alguns problemas: pegar neles, complicá-los, importar soluções que já provaram que não funcionam pela Europa fora, algumas há 10 anos, aplica algumas camadas de burocracia e no fim, o problema não só não se resolva, como fica pior".

Carregando na crítica, o líder da IL acrescentou que "o PS conseguiu esta coisa fantástica, que é transformar uma ida a um estádio de futebol — um prazer —, numa coisa tão desagradável como ir a uma repartição de finanças".

Erguendo-se, depois, para responder a Cotrim de Figueiredo, o Primeiro-Ministro meio que admitiu não estar totalmente a par do que envolve o Cartão do Adepto. "Vou-me inteirar dessa realidade do Cartão do Adepto, francamente não estou em condições de responder, mas a sua descrição, desta vez, foi tão impressiva, que até mim parece ter convencido. É só isso que me deixa desconfiado", disse António Costa, misturando as suas palavras sobre a medida com o histórico no Parlamento com o deputado da IL - também não posso ter aqui este preconceito de achar que nunca tem razão. Se calhar, olhe, foi desta vez que tem. Vamos ver, prometo ir ver".

O Cartão do Adepto que Cotrim de Figueiredo retratou como "um autêntico fiasco" tem sido defendido, repetidamente, pelo Secretário de Estado da Juventude e do Desporto. "É uma boa lei, é uma boa medida", disse João Paulo Rebelo, no final de setembro.