Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Futebol nacional

Sporting de Braga e Vitória de Guimarães também são alvo de buscas. Em causa estão suspeitas de fraude fiscal de €15 milhões

Inspetores da Autoridade Tributária e do Ministério Público deslocaram-se, esta quarta-feira, aos escritórios do Sporting Clube de Braga, no âmbito da Operação Fora de Jogo. Em causa estará uma fraude fiscal de cerca de 15 milhões de euros. Sede do Vitória, em Guimarães, também alvo de buscas

Diogo Pombo e Hugo Franco

Octavio Passos/Getty

Partilhar

As sedes do Sporting Clube de Braga e do Vitória de Guimarães foram alvo de buscas, na manhã desta quarta-feira, devido a suspeitas de irregularidades em negócios de transferência de jogadores no âmbito da Operação Fora de Jogo, que já deu origem a seis inquéritos nos quais já foram constituídos 129 arguidos. No total, estão a ser realizadas duas dezenas de buscas domiciliárias e não domiciliárias.

Ao que foi possível pela Tribuna Expresso, os inspetores da Autoridade Tributária (AT) e do Ministério Público (MP) deslocaram-se aos escritórios do clube bracarense e pediram documentação relativa às transferências de dois jogadores, realizadas entre o FC Porto e o Sp. Braga.

Esses futebolistas são Mamadoum Loum, comprado pelos dragões aos minhotos em 2019, por €7,5 milhões, e Wenderson Galeno, que fez o percurso inverso, no mesmo ano, por um valor de €3,5 milhões. Atualmente, o primeiro está emprestado pelo FC Porto ao Alavés, clube espanhol, e o segundo é habitualmente titular na equipa do Braga.

A investigação estará a ser conduzida pelo juiz Carlos Alexandre e visará, também, o FC Porto, a Gestifute e alguns empresários de futebol.

O Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) revelou que em causa estão "suspeitas de negócios simulados, celebrados entre clubes de futebol e terceiros, que tiveram em vista a ocultação de rendimentos do trabalho dependente, sujeitos a declaração e a retenção na fonte, em sede de IRS, envolvendo jogadores de futebol profissional". Os valores envolvidos rondarão os 15 milhões de euros — os valores dos negócios de Loum e Galeno, somados, dão €11 milhões.

Os crimes investigados são de fraude fiscal, fraude à segurança social e branqueamento de capitais.

A Tribuna Expresso questionou o Sp. Braga, mas, até ao momento, ainda não obteve resposta. No âmbito do mesmo processo, a "CNN" noticiou que o Vitória Sport Clube estava igualmente a ser alvo de buscas e, também questionado, apenas respondeu ao nosso jornal: "havendo algo a comunicar, o faremos".

As buscas também estarão a visar o escritório de Bruno de Macedo, antigo responsável jurídico do Sporting de Braga (até 2013) e sócio de António Salvador, presidente do clube, na Vespasiano Investimentos Imobiliários, uma empresa brasileira.

O empresário foi visado na investigação da Operação Cartão Vermelho e tem relações com Luís Filipe Vieira. O MP suspeita que Bruno Macedo terá recebido ganhos na intermediação de transferências de futebolistas efetuadas pelo Benfica e de ter canalizado parte desses ganhos para comprar imóveis pertencentes à Promovalor, empresa detido pelo ex-presidente do clube da Luz.

Esta Operação Fora de Jogo está a ser realizada por Carlos Alexandre, cinco magistrados do MP, quatro dezenas de efetivos da AT e cerca de meia centena de militares da Unidade de Ação Fiscal da GNR. Até ao momento não foram constituídos mais arguidos.