Tribuna Expresso

Perfil

Jesus é brasileiro

Jorge Jesus: “Quando dirigente entra no meio e agride o Gabigol... Esse senhor não tem capacidade para estar no Vasco”

No final do Flamengo x Vasco, Jesus reconheceu falhas na defesa, definiu empate como amargo e arrasou o dirigente vascaíno que terá agredido Gabriel Barbosa com o joelho. A Tribuna Expresso convidou o jornalista brasileiro Plínio Fraga para escrever sobre Jorge Jesus e o Flamengo com o tom, o sotaque e o ritmo certos do Brasilerão

Plínio Fraga, no Rio de Janeiro

Wagner Meier

Partilhar

O treinador Jorge Jesus reconheceu que a defesa falhou mais que devia e definiu o resultado da partida Flamengo x Vasco (4-4) como amargo. “Quem veio ao Maracanã ver o jogo, independentemente do time, saiu daqui com um espetáculo, um excelente jogo. Para o Flamengo foi um resultado amargo. Mas somamos mais um ponto, poderiam ser mais dois, mas estamos a cinco rodadas do final”, disse ele.

O fato de o Flamengo estar dez posições à frente do Vasco não inibiu o maior rival. “O Vasco fez que a nossa defesa errasse mais do que o habitual. Vou analisar. Mas o futebol tem que ser valorizado. Nossa equipe, quando perde a bola, sabe se reorganizar rapidamente. E hoje não soubemos nos reorganizar rapidamente. E isso foi um dos motivos por termos sofridos quatro gols” , reconheceu Jesus.

A agressão do dirigente vascaíno

O treinador do Flamengo reclamou da agressão de um dirigente do Vasco ao atacante Gabriel Barbosa, o Gabigol, depois do encerramento da partida, o que gerou tumulto no final. “Situações de bate boca são normais. Mas, quando dirigente entra no meio e agride os jogadores, como fez o senhor do Vasco que não me interessa saber o nome, é grave. Foi falta de respeito ao Vasco, que tem história. Esse senhor não tem capacidade para estar no Vasco”, reclamou.