Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Jesus é brasileiro

“O Jorge Jesus gostava de fazer treinos de velocidade na mata e acompanhava-nos. Um dia, correu mal: torceu o pé, assistimos o mister”

Na semana em que Jorge Jesus pode conquistar o Brasileirão e a Copa dos Libertadores, a Tribuna Expresso avança com uma história por dia, partilhada por quem com ele conviveu numa longa carreira. Esta quarta-feira é o dia de Jorge Andrade, que foi treinado por J.J. no Estrela da Amadora

Jorge Andrade (depoimento recolhido por Alexandra Simões de Abreu)

LLUIS GENE

Partilhar

Falar do Jorge Jesus não é facil porque foram muitos episódios vividos com ele no Estrela da Amadora. Por exemplo, recordo-me disto, um dia fomos treinar a Vila Franca de Xira e, quando lá chegámos, o mister mandou-nos fazer um treino chamado Bosco, que é um treino físico em que a parte inical é um aquecimento e depois são vários minutos de carga física elevada.

Depois de terminar este treino, os jogadores estão exaustos e só querem quase acabar o treino. Faz-se só uma peladinha e o treino acaba. Mas ele era tão exigente que, depois de fazermos o Bosco - e já estávamos todos em situação de quase falência física -, achou que o nível do treino não estava elevado e mandou-nos repetir todo o treino Bosco (risos). Saímos de lá quase a rastejar, lembro-me que foi um dos dias mais cansativos da minha vida.

Lembro-me também de uma vez em que ele nos pôs a correr na mata. Gostava de fazer treino de velocidade na mata. Uma dessas vezes ele, ao tentar acompanhar-nos em velocidade e nas corridas, torceu o pé e tivemos de assistir o mister (risos).