Tribuna Expresso

Perfil

Jesus é brasileiro

Jesus: “No Brasil aprendi a dizer amor… Em Portugal é uma complicação para dizer amor. Quero desfrutar desse amor”

No calor da festa, Jorge Jesus foi revelando aos jornalistas o que pretende fazer depois do êxtase

Tribuna Expresso

ANTONIO LACERDA

Partilhar

Ao ritmo do samba, olhando do alto do autocarro panorâmico um Rio vermelho e negro, o treinador campeão do Brasil mantém o sotaque intocável e o estilo inconfundível.

À CMTV, Jorge Jesus falou sobre o futuro, que a ambição é grande, mesmo quando se tem 65 anos, como treinadores rivais fizeram questão de lembrar há tempos, para espicaçar o português. Jesus quer orientar um grande europeu e admite que “o regresso a Portugal é cada vez mais difícil” e que está “encantado com o Brasil”.

Apesar dos desabafos, Jesus não quis falar sobre o fim do contrato, em dezembro. "Estamos numa altura tão bonita para o Flamengo, não vale a pena criar expetativas. Importa continuar esta caminhada de amor. No Brasil aprendi a dizer amor… Em Portugal é uma complicação para dizer amor. Quero desfrutar desse amor."

Nessa altura, o treinador e a restante comitiva celebravam “apenas” a conquista da Libertadores, já que o Flamengo não era ainda matematicamente campeão brasileiro. Mas Jesus seguia encantado a festa dos adeptos e juntava-se aos coros das canções clubísticas, incluindo a que os fãs criaram em sua homenagem.

"Não esperava esta receção, mais uma vez este clube provou que é único, não há igual. Disseram-me que eram à volta de 4 milhões. Um amor que contagia qualquer pessoa e eu já estou contagiado pelo Flamengo. A final foi difícil, mas acreditávamos que podíamos mudar o jogo. Os deuses estavam connosco e ajudaram-nos a vencer este grande troféu."

Em relação às críticas, na hora da vitória, é tempo de desvalorizar. "Normal, aqui não têm o conhecimento a fundo do futebol europeu e de Portugal e acharam que eu era mais um, mas eu não sou mais um. Este futebol do Brasil é apaixonante, com muita qualidade, competitivo, com dez equipas que em Portugal disputavam o título.

Jesus não esquece o país e os seus compatriotas: “Quero agradecer-lhes do fundo do coração. Não tenho clube, o meu clube é o futebol, amo o meu país e estou agradecido aos portugueses por me reconhecerem como a bandeira do país".

Quanto ao próximo desafio em termos de importância, o Mundial de Clubes, Jesus não tem dúvidas: “Esta equipa tem tudo para o conquistar. Quarta-feira será complicado, vai haver mais dias de festa e na quarta vamos notar as consequências mas tens de ter o prazer de desfrutar a conquista desta Libertadores."

E é bom que os resultados correspondam às expetativas dos adeptos que ontem aproveitavam a festa para vender os carros, de forma a financiarem a viagem ao Qatar, onde a prova se realiza.