Tribuna Expresso

Perfil

Jesus é brasileiro

Flamengo: o colete de Jesus, os gols de BH e um elogio a Gabigol: "Se fosse muito responsável não era o jogador que é"

O Flamengo bateu o Ceará por 4-1, de virada, no Maracanã, perante 68 mil torcedores, muitos deles cantando o nome do Mister Jorge Jesus que prefere não falar do futuro. Foi a noite da consagração do campeão brasileiro. A Tribuna Expresso convidou o jornalista brasileiro Plínio Fraga para escrever sobre Jorge Jesus e o Flamengo com o tom, o sotaque e o ritmo certos do Brasilerão

Plínio Fraga, no Rio de Janeiro

Wagner Meier

Partilhar

No jogo em que recebeu a taça de campeão brasileiro de 2019, o Flamengo goleou o Ceará por 4 a 1, à frente de 68 mil torcedores no Maracanã. A equipe visitante abriu o placar para a surpresa da torcida rubro-negra aos 27 minutos do primeiro tempo, com o atacante Thiago Galhardo. A reação do time do treinador Jorge Jesus veio no segundo tempo e foi avassaladora com quatro gols - três de Bruno Henrique e um de Vitinho.

Mesmo após um final de semana de festa pelo título das Libertadores, o Flamengo dominou a partida, com 67% de posse de bola e mais de 26 finalizações a gol.

Campeão antecipado com 16 pontos a mais do que o segundo colocado, invicto a 22 jogos, o Flamengo ainda disputará três jogos pelo Campeonato Brasileiros antes de participar do Mundial de Clubes, em dezembro no Qatar.

Jorge Jesus comentou a virada rubro-negra: “Tínhamos de demonstrar que os campeões querem sempre mais. Vínhamos de uma semana de muita festa. No intervalo, fizemos algumas correções. A vitória era importante, como bater o recorde de soma de pontos corridos no Campeonato Brasileiro.”

Com o nome cantado mais uma vez no estádio, Jesus voltou a elogiar a torcida. “Os adeptos do Flamengo não se calaram quando a equipe esteve a perder. E nestes momentos a torcida ajuda a dar volta.”

O treinador português comparou seus dois principais jogadores. Disse que Bruno Henrique tem lugar em qualquer equipe do mundo e avaliou por que Gabriel por vezes parece menos responsável do que deveria ser em campo. “Se Gabriel fosse muito responsável, não seria o jogador que é. A final em Lima era como se fosse uma pelada. Todo o futebol que tem é por não ser um jogador assim tão racional.”

O treinador voltou a agradecer a atenção dos compatriotas que o assistem pela televisão. “O Flamengo tem mexido com muito coração em Portugal. Todos os portugueses o tem acarinhado com a transmissão de jogos. Portugal praticamente parou para ver a final da Libertadores. Todos os dias penso que sou uma parte disso e só posso agradecer.”

Evitou falar de desafios futuros na própria carreira: “Estou muito feliz no Flamengo e vamos ver no dia a dia. Nem meu próprio agente acreditava. Disse-me: vai-se meter num país em que o treinador cai a cada semana.

Assim como na partida contra o River Plate, Jorge Jesus vestiu um colete preto no primeiro tempo e o Flamengo saiu derrotado: “Este colete não visto mais”, disse.