Tribuna Expresso

Perfil

Jesus é brasileiro

Jesus: “Ganhar com Gabigol e Bruno Henrique é fácil? Eles já estavam no Flamengo antes de chegar aqui, porque é que não era fácil?”

Em entrevista à FlaTV, o canal do Flamengo, o treinador português falou nos seus méritos, relembrou o jogo que mais gozo lhe deu e revelou o número de vezes que já foi testado à covid-19

Tribuna Expresso

Silvia Izquierdo

Partilhar

O mérito

"É fácil dizer que Gabigol e Bruno Henrique são super-jogadores. E são. Mas dizer que por isso é fácil ganhar... Então é fácil? Eles já estavam cá quando eu cheguei...por que é que não foi fácil antes de eu chegar aqui ao Flamengo? O Flamengo já era Flamengo antes de cá chegarmos. Então porque é que agora é tem estado a ganhar? Porque tem estes jogadores? Não é só porque tem estes jogadores! É porque tem toda uma estrutura e envolvência de um clube que sabe que ninguém está acima do clube."

A Libertadores

"O jogo mais marcante foi a final da Libertadores [contra o River Plate]. Pela forma como aconteceu, com o sofrimento que tivemos até aos 88 minutos e depois como as coisas mudaram de forma tão rápida... O futebol é mesmo assim. Foi um sinal do que era, e é, aquela equipa, acredita sempre até ao fim. E eu senti, ainda sinto, que houve uma mãozinha, não sei de onde, que me empurrou e em toda a minha carreira vai ser o troféu mais saboroso! Mas o jogo que mais me realizou foi o 5-0, no Maracanã [Rio de Janeiro] ao Grêmio, na passagem para essa final".

Os testes

"Fui testado 16 vezes. O meu porto seguro é o centro de treinos do Flamengo, a treinar. A equipa médica do Flamengo controla uma população toda testada e lá dentro estamos à vontade. O Flamengo deve servir de exemplo para as grandes empresas do Brasil. Temos de isolar, testar e prevenir, porque não podemos manter as pessoas isoladas para sempre. Em casa não somos testados. Sendo testados, a população está segura".