Tribuna Expresso

Perfil

Jogos Olímpicos

Mais de metade das empresas japonesas não quer os Jogos Olímpicos em 2021

Das 13 mil empresas que participaram no estudo, realizado entre julho e inícios de agosto, 27,8% acreditam que os Jogos Olímpicos, adiados de 2020 para 2021 devido à covid-19, devem ser simplesmente cancelados, enquanto 25,8% é favorável a um novo adiamento

Tribuna Expresso

Toru Hanai

Partilhar

Os japoneses continuam a desconfiar dos benefícios da organização dos Jogos Olímpicos em Tóquio em plena pandemia e um recente estudo levado a cabo pelo think-tank Tokyo Shoko Research, citado pela Reuters, mostra que mais de metade das empresas nipónicas quer que a competição seja novamente adiada ou mesmo cancelada, por muitas perdas financeiras que a decisão possa vir a causar.

No total, das 13 mil empresas que participaram no estudo, realizado entre julho e inícios de agosto, 27,8% acreditam que os Jogos Olímpicos, adiados de 2020 para 2021 devido à covid-19, devem ser simplesmente cancelados, enquanto 25,8% é favorável a um novo adiamento o que, na prática, se transformaria em cancelamento, na medida em que o Comité Olímpico Internacional já alertou que os Jogos ou se realizam em 2021 ou não se realizarão de todo.

Depois de ver a situação pandémica controlada em maio, altura em que o governo japonês levantou o estado de emergência, desde julho que o país voltou a ter mais casos de covid-19, o que estará a contribuir para a desconfiança das empresas do Japão.

O estudo diz ainda que, no entanto, 22,5% das empresas são favoráveis a que os Jogos Olímpicos se realizem sem restrições. Cerca de 18% apoia uma competição com um número reduzido de espectadores, enquanto 5,3% acreditam que é possível levar os Jogos de Tóquio para a frente, mas à porta fechada.