Tribuna Expresso

Perfil

Jogos Olímpicos

O Japão está em estado de emergência mas “a realização dos Jogos é o nosso caminho, não discutimos outro”, garante o organizador

O Japão reforçou hoje a ideia de realizar os Jogos Olímpicos previstos para este Verão na capital japonesa, apesar dos rumores sobre o seu possível cancelamento, devido à gravidade da situação pandémica no país e no resto do mundo

Lusa

KAZUHIRO NOGI/Getty

Partilhar

O Japão reforçou hoje a ideia de realizar os Jogos Olímpicos previstos para este Verão na capital japonesa, apesar dos rumores sobre o seu possível cancelamento, devido à gravidade da situação pandémica no país e no resto do mundo.

"Estou determinado a organizar os Jogos de forma segura enquanto trabalho em estreita colaboração com o governo metropolitano de Tóquio, o comité organizador (2020) e o COI", disse hoje o primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, durante a sua comparência numa sessão da Câmara Alta do Parlamento do Japão.

Suga reiterou que os Jogos deveriam servir "como prova da vitória da humanidade contra a covid-19".

O líder japonês fez a sua declaração no meio de uma conversa crescente tanto do Japão como do estrangeiro sobre um possível atraso ou mesmo um cancelamento dos Jogos de Tóquio devido à crise de saúde global, que é agora pior em termos de infeções diárias do que em março passado, altura em que foi anunciado o adiamento da competição.

Na quinta-feira, o jornal britânico The Times publicou uma reportagem indicando que o Governo japonês já tinha concluído que a realização dos Jogos este Verão seria impossível, com base em fontes da coligação governamental.

O ministro japonês responsável pelos Jogos, Seiko Hashimoto, negou esta informação em declarações feitas hoje aos meios de comunicação japoneses.

"O governo japonês fará todos os esforços para realizar os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos este Verão", disse Hashimoto quando questionado sobre o assunto, acrescentando que o Japão "está a fazer todos os possíveis para controlar a pandemia" e "a tomar as medidas necessárias" para realizar os Jogos.

A cerca de seis meses do início dos Jogos, a realização da competição, adiada para o verão de 2021 devido à pandemia, volta a ser questionada devido ao aumento do número de casos e mortes por covid-19, que levou o governo de Tóquio a reinstaurar o estado de emergência.

Na quarta-feira, o diretor executivo do comité organizador dos Jogos Olímpicos Tóquio2020 garantiu que “não está em discussão” um cancelamento da competição devido à pandemia de covid-19, admitindo a possibilidade de a realizar sem público.

“A realização dos Jogos é o nosso caminho, não discutimos outro”, disse Toshiro Mutu, em entrevista à agência noticiosa francesa AFP, garantindo que o cancelamento da competição, que deverá decorrer entre 23 de julho e 08 de agosto, não está a ser equacionado.

Na segunda-feira, o primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, assegurou que o país continua comprometido em realizar os Jogos Olímpicos Tóquio2020 no verão, apesar do número crescente de casos de covid-19 no mundo.

Em 08 de janeiro, o Japão decretou um novo estado de emergência, em vigor em 11 das 47 prefeituras do país, nas quais está concentrada mais de metade da população e perto de 80% dos contágios contabilizados.