Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Tóquio 2020

Tóquio 2020

Jogos Olímpicos

Covid-19. Jogos Olímpicos ainda podem ser cancelados se a quarta vaga no Japão continuar a crescer

A 90 dias do início oficial dos Jogos de Tóquio, que já tinham sido adiados em 2020, surge a pouco surpreendente hipótese de novo cancelamento do maior evento desportivo do mundo. Quem o diz é um alto responsável da organização

Tribuna Expresso

Issei Kato

Partilhar

As Olimpíadas de Tóquio 2020 foram adiadas para 2021, com o Comité Organizador e o Governo japonês a garantirem que não iria haver mais adiamentos. Agora, um dos membros da organização admite que a quarta vaga do novo coronavírus no Japão pode mesmo levar ao cancelamento – sem qualquer nova data – do evento.

A 99 dias do início dos Jogos Olímpicos, há ainda muito receio, por parte da organização, do que pode acontecer com o agravamento da situação no Japão. O país considera que já está a enfrentar uma quarta vaga de Covid-19 e que as perspetivas não são animadoras.

De acordo com o “Daily Mail”, na quarta-feira, a segunda maior cidade do Japão, Osaka, registou 1.100 novos casos, o valor mais alto desde janeiro. Os números no país chegaram aos 4.000 testes positivos nesse dia.

O Governo nipónico confirmou que o Japão está a enfrentar uma quarta vaga, com o secretário-geral do partido que governa o país, Toshihiro Nikai, a admitir a forte hipótese de que o evento seja cancelado. “Se for impossível prosseguir com os Jogos, estes devem ser cancelados em definitivo. Se houver um surto de infeções por causa das Olimpíadas, não faz sentido que o evento aconteça,” disse Nikai ao canal TBS TV.

Questionado se o cancelamento ainda é hipótese, Nikai não deixou dúvidas: “Claro. É importante para o Japão ter uns Jogos Olímpicos bem-sucedidos. É uma grande oportunidade. Quero que seja um sucesso. Vamos ter muitos problemas para resolver e coisas para preparar e é muito importante tratarmos delas individualmente”.

O Japão atribuiu 9.500 mortes ao Covid-19 desde que se registaram os primeiros casos no início de 2020. Os valores são considerados “bons” pelos padrões mundiais mas “maus” se apenas o continente asiático for tido em conta.

Taro Kono, o ministro japonês responsável pela gestão das vacinas, disse que, mesmo que as Olimpíadas aconteçam, é possível que não haja fãs – mesmo japoneses – nas bancadas de qualquer das competições. Isso significa que os Jogos decorrerão em espaços vazios, com as câmaras a filmar os atletas, alguns repórteres, árbitros e membros da organização.