Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Tóquio 2020

Tóquio 2020

Jogos Olímpicos

Tóquio 2020. Jogos Olímpicos sem 'fan zones'. E possivelmente sem adeptos

Governo Metropolitano de Tóquio não vai permitir as seis 'fan zones' previstas para receberem adeptos durante dos Jogos, que começam a 23 de julho. A presença ou não de público japonês (os estrangeiros já estão barrados) será decidida na segunda-feira

Lusa

KAZUHIRO NOGI/Getty

Partilhar

O Governo Metropolitano de Tóquio decidiu suprimir as seis ‘fan zones’ previstas para receberem adeptos durante os Jogos Olímpicos Tóquio2020, devido ao agravamento da pandemia de covid-19, anunciou este sábado a governadora, Yuriko Koike.

“Decidimos cancelar os eventos que promovam ajuntamentos de pessoas. Em compensação, utilizaremos de forma mais intensiva a Internet para recriar o ambiente dos Jogos e difundir numerosas informações culturais”, explicou Koike.

Na sexta-feira, a organização dos Jogos Olímpicos, que foram adiados por um ano devido à pandemia e vão realizar-se entre 23 de julho e 8 de agosto, tinha revelado a pretensão de ter público nos eventos, apesar de um grupo de peritos médicos japoneses o desaconselhar.

A decisão quanto à presença de espectadores japoneses nas bancadas – os estrangeiros não autorizados a viajar para o Japão - deve ser anunciada na segunda-feira, depois de uma reunião com os comités olímpico e paralímpico internacionais, bem como com as autoridades nipónicas.

Os peritos alertaram para a probabilidade do aumento do número de casos de infeção, bem como para a potencial propagação de novas e mais contagiosas variantes do vírus.

Nos últimos meses, o governo tem permitido que no futebol e no basebol os estádios tenham até 50% da capacidade preenchida, pelo que o Estádio Olímpico poderia, segundo este cenário, acolher 34.000 espetadores.