Tribuna Expresso

Perfil

Tóquio 2020

Tóquio 2020

Jogos Olímpicos

Telma Monteiro e o judo português em Tóquio 2020: "É legítimo pensar em medalhas"

"Obviamente, sabemos que nem sempre conseguimos alcançar o número que seria possível, porque os outros países têm o mesmo objetivo. Mas é legítimo pensar em medalhas, é uma equipa muito forte que pensa nisso”, afirma a medalha de bronze no Rio 2016

Lusa

KAI PFAFFENBACH

Partilhar

A portuguesa Telma Monteiro elogia a seleção nacional de judo, com oito representantes que fazem com que seja “legítimo pensar em medalhas” em Tóquio 2020, reforçada com a união promovida pela pandemia.

Questionada sobre o valor da maior participação de sempre do judo português em Jogos Olímpicos, a medalha de bronze em -57 kg do Rio 2016, a caminho dos quintos Jogos da carreira, destaca esta como “uma equipa muito forte”.

“Tem vários atletas em que é legítimo pensar em medalhas. Obviamente, sabemos que nem sempre conseguimos alcançar o número que seria possível, porque os outros países têm o mesmo objetivo. Mas é legítimo pensar em medalhas, é uma equipa muito forte que pensa nisso”, afirma.

A competição de judo, em que Portugal conta com Catarina Costa (-48 kg), Joana Ramos (-52 kg), Telma Monteiro (-57 kg), Bárbara Timo (-70 kg), Patrícia Sampaio (-78 kg), Rochele Nunes (+78 kg), Anri Egutidze (-81 kg) e Jorge Fonseca (-100 kg), decorrerá de 24 a 31 de julho, no Nippon Budokan, com a discussão de duas categorias, uma masculina e uma feminina, por dia.

Se para a atleta do Benfica “cada combate vai ser uma final”, dada a competitividade da sua categoria de peso, todos os atletas da comitiva terão de enfrentar os melhores nomes da modalidade para atingirem o pódio olímpico.

Para isso contribuiu uma preparação que Telma Monteiro avalia de forma positiva, vendo o judo português “com muito bons resultados” e a treinar em conjunto, enquanto seleção, após um período de “grande capacidade de adaptação e aceitação”.

A judoca refere-se à pandemia de covid-19, que veio ‘baralhar’ o calendário competitivo e de estágios em 2020, além de adiar os próprios Jogos para este ano.

“Temos conseguido treinar juntos e tem dado frutos. A covid-19 mostrou que as pessoas têm de ser mais unidas, e o judo é um bom exemplo disso. Se tudo correr bem, vamos colher os frutos nos Jogos Olímpicos”, atira.

Mesmo que seja “difícil dizer o que esperar em concreto”, a atleta vê na fortaleza mental e união um ponto forte.

“Se depender da preparação e de como ultrapassámos adversidades juntos, conseguimos”, confia.

Portugal vai estar representado por 92 atletas, em 17 modalidades, nos Jogos Olímpicos Tóquio2020, que vão ser disputados entre 23 de julho e 08 de agosto, depois do adiamento por um ano, devido à pandemia de covid-19.