Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Tóquio 2020

Tóquio 2020

Jogos Olímpicos

A não tão dream team voltou a perder 25 jogos depois

Seleção norte-americana de basquetebol não perdia desde as meias-finais do torneio olímpico de 2004, em Atenas. Os EUA, ou a 'dream team' (uma eterna alusão à famosa equipa de 1992), ganharam a medalha de ouro em 2008, 2012 e 2016

Hugo Tavares da Silva

Mike Ehrmann

Partilhar

Não sabiam o que era perder desde a semi-final dos Jogos Olímpicos de 2004, na Grécia. A Argentina de Manu Ginóbili e Luis Scola bateram os norte-americanos (89-81) e, às custas da Itália, lá seguiram embalados para o ouro olímpico.

Os Estados Unidos tinham então homens como Allen Iverson, Dwyane Wade, Carmelo Anthony, LeBron James e Tim Duncan. Tinham sidos os últimos, até hoje, a serem derrotados no torneio olímpico de basquetebol. Foi já há 17 anos.

Este domingo, os franceses levaram a melhor contra os Estados Unidos, impondo assim uma interrupção dessas 24 vitórias consecutivas, que permitiram as medalhas de ouro nos Jogos de 2008, 2012 e 2016, em Pequim, Londres e Rio de Janeiro.

Mike Ehrmann

Os Estados Unidos até lideravam na primeira parte do jogo deste domingo, mas um terceiro período de alto gabarito dos franceses, em que fizeram 25 pontos contra 11, inverteu o marcador e marcou a tendência para o que seria o desfecho do duelo.

Evan Fournier, com quatro tiplos em 12 tentativas, fez 28 pontos para os franceses. Do outro lado, foi Jrue Holiday quem marcou mais pontos (18), seguido de Edrice Femi Adebayo (12), que ganhou ainda 10 ressaltos (o máximo do encontro), e Damian Lillard (11).

Os Estados Unidos voltam a entrar em campo na quarta-feira, contra o Irão, e no sábado, contra a República Checa, fechando assim o Grupo A.

A Austrália e a Itália vão liderando o Grupo B, com uma vitória, ficando na segunda metade da tabela Alemanha e Nigéria. Ainda não houve jogos disputados no Grupo C, com Argentina, Espanha, Eslovénia e a seleção anfitriã, Japão