Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Tóquio 2020

Tóquio 2020

Jogos Olímpicos

O primeiro recorde mundial da natação em Tóquio caiu quase uma semana depois. Obra e graça da China, no dia dourado de Dressel

A estafeta chinesa dos 4x200m livres bateu as favoritas norte-americanas e australianas, numa prova que teve os três melhores tempos da história na distância. Nos 100m livres, Caeleb Dressel conquistou o primeiro ouro individual nestes Jogos

picture alliance/Getty

Partilhar

A natação é normalmente a modalidade mais importante da primeira semana dos Jogos Olímpicos e também aquela em que os recordes mundiais caem com mais frequência. Mas nuns Jogos Olímpicos de Tóquio onde as marcas têm ficado bastantes aquém do melhor dos atletas foi preciso esperar quase uma semana para se ver o primeiro recorde do Mundo a cair e as protagonistas são uma surpresa.

A estafeta chinesa dos 4x200m livres foi a autora da proeza, ao vencer a final da prova com 7.40,33 minutos, menos 1,17 segundos que a anterior melhor marca, que pertencia à Austrália desde 2019, nos Mundiais de Roma. A Austrália que se teve de contentar com a medalha de bronze apesar de ter nas suas fileiras a campeã olímpica nos 200m, Ariarne Titmus.

Tom Pennington/Getty

Yang Junxuan, Tang Muhan, Zhang Yufei e Li Binjie bateram a estafeta dos Estados Unidos, com Katie Ledecky na terceira perna. O recorde norte-americano não foi suficiente para fazer melhor do que a prata. Apesar do bronze, a Austrália bateu também o recorde nacional, o que significa que esta estafeta teve os três melhores tempos da história.

Esta quinta-feira no Centro Aquático de Tóquio viu-se também o primeiro título individual de Caeleb Dressel, que venceu os 100m livres à frente do australiano Kyle Chalmers e do russo Kliment Kolesnikov, com direito a recorde olímpico.

O atleta norte-americano já tinha estado na estafeta 4x100m dos Estados Unidos campeã olímpica na passada segunda-feira.