Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Tóquio 2020

Tóquio 2020

Jogos Olímpicos

Patrícia Mamona é medalha de prata no triplo salto em Tóquio

Atleta portuguesa bateu o recorde nacional por duas vezes na prova e chegou pela primeira vez na carreira aos 15 metros. Mas mais importante que tudo: chegou à medalha olímpica, a segunda de Portugal nestes Jogos de Tóquio

JOSÉ COELHO/LUSA

Partilhar

Extraordinário! Patrícia Mamona é medalha de prata no triplo salto dos Jogos Olímpicos ao chegar aos 15.01 metros, recorde pessoal e nacional e que marca a primeira vez que atleta ultrapassa a barreira dos 15 metros.

O salto apareceu à quarta tentativa, mas logo à primeira a atleta de 32 anos tinha batido o recorde nacional, com 14.91. A portuguesa tinha chegado a Tóquio com a melhor marca nos 14.66, feitos no Mónaco em vésperas da partida para o Japão.

Depois de um início estrondoso, a portuguesa desfez depois a 2.ª tentativa e ao terceiro salto fez um nulo por 2 cm, num salto que, a ser válido, teria sido novamente muito perto dos 15 metros. Mas não demoraria a chegar esse salto que Patrícia há muito procurava e que vale a Portugal a segunda medalha nestes Jogos Olímpicos, depois do bronze de Jorge Fonseca no judo.

O perigo chegou da parte de Ana Peleteiro, a espanhola que também bateu por duas vezes o recorde pessoal na prova, ficando a 14 centímetros da portuguesa, e da jamaicana Shaneika Ricketts, 4.ª a 17 centímetros de Patrícia.

A vitória foi para Yulimar Rojas, da Venezuela, que logo a abrir 15.41, recorde olímpico e bateu o recorde do Mundo na última tentativa, com 15.67.