Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Tóquio 2020

Tóquio 2020

Jogos Olímpicos

"Quando tudo estava a correr bem, lá vem mais um obstáculo". Antes da sua última prova, Nelson Évora revela que foi operado em março

Num vídeo no Instagram, o campeão olímpico do triplo salto em Pequim 2008 tornou pública uma operação ao menisco em março deste ano, ficando com menos de 18 semanas para preparar os Jogos Olímpicos Tóquio 2020, que serão os seus últimos

Lusa

VALDRIN XHEMAJ

Partilhar

O atleta do triplo salto Nelson Évora, campeão olímpico em 2008, revelou este domingo que se submeteu a uma operação ao menisco em março deste ano, ficando com menos de 18 semanas para preparar os Jogos Olímpicos Tóquio 2020.

Évora, que aos 37 anos entra em prova na terça-feira no triplo salto, revelou, na rede social Instagram, que sofreu “uma pequena lesão no menisco” e teve de “correr contra o tempo” após a cirurgia.

“Quando tudo estava a correr bem, lá vem mais um obstáculo. Nada de novo numa vida recheada de tantas pedras no caminho. Mas mais uma vez chorei, arregacei as mangas e fui à luta”, escreveu o atleta, ao lado de um vídeo datado do dia da operação.

O atleta reiterou o que já tinha anunciado, que é “a última” prova que disputa, depois de já ter dito que vai fazer os últimos Jogos Olímpicos, mas acredita “sempre” nas suas capacidades, após uma carreira que, depois do ouro olímpico na capital chinesa, foi muito afetada pelas lesões.

Na quinta-feira, já em Tóquio, Nelson Évora tinha falado à imprensa para pedir aos colegas da missão que se “divirtam ao máximo”, com um dos quatro campeões olímpicos portugueses a destacar “o peso da responsabilidade” no dia da prova.

A carreira de Évora é marcada, além dos vários títulos internacionais, por várias lesões graves, como foram os casos de uma fratura de esforço na tíbia, em 2010, uma lesão no calcanhar, em 2011, e nova fratura de esforço, em 2012.

O agora atleta do FC Barcelona conquistou os títulos europeus em pista coberta, em Belgrado, em 2017, e ao ar livre, em Berlim, em 2018, assim como as medalhas de bronze nos Mundiais de 2017, em Londres, e ‘indoor’ de 2018, em Birmingham.

Campeão do mundo em 2007, em Osaka, no Japão, com o recorde pessoal de 17,74 metros, o saltador vestiu também as camisolas do FC Porto, entre 2002 e 2004, e do Benfica, entre 2004 e 2016.

Nelson Évora chegou a Tóquio 2020 graças ao 26.º posto do ‘ranking’ de qualificação, cimentado sobretudo com resultados obtidos em 2018 e 2019, tendo como melhor marca do ano os 15,93 metros alcançados na Maia, em 26 de junho último.

A qualificação do triplo salto está marcada para terça-feira, a partir das 09:00 locais (01:00 em Lisboa), enquanto a final vai ser disputada na quinta-feira, às 11:00 (03:00).

Nas anteriores participações olímpicas, além do título de Pequim2008, foi sexto no Rio2016, tendo falhado Londres2012, por lesão.