Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Tóquio 2020

Tóquio 2020

Jogos Olímpicos

O treble está vivo: Sifan Hassan vence o ouro em 5000m e continua com feito inédito no horizonte

Em Tóquio, a atleta dos Países Baixos, para onde se mudou com estatuto de refugiada aos 15 anos, quer o que nunca ninguém fez: vencer em 1500, 5000 e 10.000 metros

Tribuna Expresso

Ryan Pierse

Partilhar

Um dos objetivos de Sifan Hassan já está assegurado: medalha de ouro nos 5000 metros. A queniana Hellen Obiri e a etíope Gudaf Tsegay encerram o pódio. Veja AQUI a história de Hassan, nascida na Etiópia e agora a representar os Países Baixos, para onde se mudou aos 15 anos com estatuto de refugiada.

Sifan Hassan manteve-se sempre no grupo da frente. Com o passar dos quilómetros, o grupo foi ficando mais magro. À entrada para a última volta, Hassan estava bloqueada e quem sabe teve a necessidade de se esquecer da queda da prova dos 1500m que havia feito há muitas horas já.

A 300 metros da meta, a atleta dos Países Baixos escapou de uma das grandes favoritas, Obiri, que ia revelando esgares de sofrimento. Solta, com um ritmo impressionante, Hassan terminou a prova com 30 metros de avanço, com a marca 14:36.79. Obiri terminou em 14:38.36 e Tsegay em 14:38.87. Logo atrás chegou a queniana Agnes Jebet Tirop, que fez a melhor prestação do ano (14:39.62).

Em Tóquio, Hassan quer o que nunca ninguém fez: vencer em 1500, 5000 e 10.000 metros. O primeiro desafio já está.

As outras finais, de 1500 e 10.000 metros, estão agendadas para 6 e 7 de agosto (13h50 e 11h45 em Lisboa).