Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Tóquio 2020

Tóquio 2020

Jogos Olímpicos

Após uma lesão durante a competição nos Jogos Olímpicos, o cavalo do suíço Robin Godel teve de ser abatido

Depois de ser avaliado no local e numa clínica veterinária, as notícias não podiam ser piores. Uma rutura irreparável dos ligamentos acabou por ditar o final trágico da participação de Robin Godel e do seu cavalo, Jet Set, nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Rita Meireles

picture alliance

Partilhar

Foi durante o torneio olímpico de hipismo, concretamente no evento de cross-country, que Jet Set, o cavalo do suíço Robin Godel, começou a coxear. Uma lesão no último obstáculo aquático da prova obrigou à interrupção do evento e levou a que o cavalo, de 14 anos, fosse retirado do recinto.

Segundo informações disponibilizadas pela Federação Equestre Internacional (FEI), o cavalo foi assistido no local, mas, após essa primeira avaliação, teve que ser transferido para uma clínica veterinária.

As notícias acabaram por ser as piores, uma vez que a lesão revelou ser uma rutura irreparável dos ligamentos.

"Infelizmente, as ecografias revelaram uma rutura irreparável dos ligamentos no membro inferior direito, imediatamente acima do casco e, por razões humanas e com o acordo dos proprietários e do atleta, foi tomada a decisão de pôr o cavalo a dormir", lê-se no comunicado da FEI.

O cavalo, que acabou por ser abatido, e o atleta, de 23 anos, estavam a fazer uma prova positiva, nesta que foi a estreia de Godel nos Jogos Olímpicos.

Nas redes sociais, o suíço lamentou o sucedido e garantiu que Jet Set “partiu enquanto fazia o que mais gostava: galopar e saltar obstáculos”. A FEI já fez saber que foram recolhidas amostras do cavalo e que, de acordo com as regras, será realizada a autópsia.