Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Tóquio 2020

Tóquio 2020

Jogos Olímpicos

Sara Moreira desmaiou durante a maratona: "Por volta dos 18 km parei, depois comecei a correr e caí para o lado, não me lembro de nada"

Portuguesa teve de ser assistida depois de ficar inanimada numa prova disputada com temperaturas altas e muita humidade. Carla Salomé Rocha foi a primeira portuguesa a terminar a maratona de Tóquio 2020, na 30.ª posição, a 07.32 minutos da vencedora, a queniana Peres Jepchirchir. Sara Catarina Ribeiro foi 70.ª

Lusa

TIAGO PETINGA/LUSA

Partilhar

A portuguesa Sara Moreira desmaiou durante a maratona dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, após percorrer 21 quilómetros, explicou a atleta, depois de ter recebido assistência médica ainda no recinto, em Sapporo.

“Eu não sei o que aconteceu. Lembro-me de ter passado a meia maratona, porque por volta dos 18 quilómetros parei para ir à casa de banho, mas, depois, comecei a correr e caí para o lado, não me lembro de nada”, disse a atleta natural de Santo Tirso à agência Lusa.

Na zona mista, Sara Moreira seguia amparada por um elemento do ‘staff’ nacional, depois de ter deixado o percurso de cadeira de rodas, inanimada, segundo constatou a Lusa no local, num momento em que se registavam 30 graus Celsius.

“Agora estou bem, na medida do possível. Sei que passei os 21 quilómetros, mas não sei quando caí”, desabafou a maratonista, de 35 anos, que, nessa altura, seguia no 75.º lugar, a 03.27 minutos do grupo de 12 atletas que liderava a prova.

Segundo a atleta, o momento foi "um susto", mas sente-se bem, e, embora tivesse gostado de terminar, ter participado "já foi uma grande vitória".

“Estou cá, estou viva. Estou triste porque queria, pelo menos, terminar a corrida. Não foi possível. Nada disso apaga tudo o que fiz para estar cá”, declarou.

Sara Moreira terminou a quarta presença olímpica em dificuldades físicas, depois de ter desistido na maratona do Rio 2016, de ter sido 14.ª nos 10.000 metros em Londres 2012 e 22.ª nos 3.000 metros obstáculos em Pequim 2008.

A atleta do Sporting foi campeã da Europa da meia maratona, em 2016, e terceira e quarta na Maratona de Nova Iorque, em 2014 e 2015, respetivamente, tendo assegurado a presença em Tóquio2020 com o registo de 02:26.42 horas, em Twente, nos Países Baixos, em 18 de abril de 2021.

Carla Salomé Rocha foi a primeira portuguesa a terminar a maratona de Tóquio 2020, na 30.ª posição, a 07.32 minutos da vencedora, a queniana Peres Jepchirchir, à frente de Sara Catarina Ribeiro, que concluiu os 42,195 quilómetros disputados no parque Odori, em Saporo (a cerca de 800 quilómetros de Tóquio), no 70.º lugar, a 27.41 minutos de Jepchirchir.

A queniana concluiu a corrida – cujo início foi antecipado para as 06:00 locais (22:00 em Lisboa), devido à previsão de calor intenso - em 02:27.20 horas, à frente da compatriota Brigid Kosgei, recordista mundial, segunda colocada, a 16 segundos, e da norte-americana Molly Seidel, terceira, a 26.