Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

André Pereira fez Lá em Casa Mando Eu esquecer que Marega lhe deve uma Walk of Shame ao estilo de Cersei Lannister em Game of Thrones

Catarina Pereira viu o FC Porto-Chaves e ficou-lhe a sensação que Diogo Leite se sentiu como aquele estagiário que no primeiro dia de trabalho tem de ir aos recursos humanos tratar do cartão e das passwords, acabando por não chegar a trabalhar

Catarina Pereira, Lá em Casa Mando Eu

JOSE COELHO/LUSA

Partilhar

Casillas
Teve uma noite tão descansada, tão descansada, que, depois de esgotado o debate sobre se o Homem pisou ou não a Lua, passou 90 minutos a refletir bem sobre uma matéria igualmente determinante. Quem nasceu primeiro: o ovo ou a galinha?

Maxi

Na Volta a Portugal, o ciclista da W52/FCPorto Rui Vinhas teve um acidente, ficou com a cara desfeita, sofreu um traumatismo e, contras as indicações dos médicos, do diretor desportivo e o bom senso de qualquer ser humano, resolveu continuar. Pedalou mais 100 quilómetros nesse dia, liderou o pelotão nas etapas seguintes e ainda continua em prova. Confrontado com a notícia, Maxi Pereira terá considerado que finalmente apareceu um ser humano capaz de o enfrentar.

Felipe

O central brasileiro não teve que fazer absolutamente nada a não ser recolher os balões enviados pela defesa do Chaves, como se uma equipa de paramilitares passasse os dias na Suíça a vigiar o recreio de uma escola de crianças sobredotadas. Foi visto a conversar com Daniel Ramos quando a goleada já ia longa, esperemos que não tenha ouvido sequer uma palavra do que o treinador do Chaves acha que tem para lhe dizer.

Diogo Leite
Sentiu-se como aquele estagiário, no primeiro dia de trabalho, que tem de ir aos recursos humanos tratar do cartão e das passwords, acabando por não chegar a trabalhar. Felipe e Casillas ter-lhe-ão mostrado o café onde costumam ir enquanto a equipa ataca e onde passam grande parte do tempo nos jogos em casa.


Alex Telles
Mesmo numa noite quase perfeita para a equipa, alguém tem de começar a abordar esta problemática: o FC Porto ganhou 5-0 e Alex Telles não fez nenhuma assistência para golo. Uma vergonha.

Sérgio Oliveira
Desde o grande passe para Otávio no segundo golo, até a um toque de calcanhar que desmarcou Brahimi e terminando na assistência para o quinto golo, foram vários os momentos em que o nosso médio ligou o jogo ofensivo de uma maneira que eu pensava que só era possível ser feita por um jovem espanhol franzino de que agora não me recordo o nome. Que seja para continuar, Sérgio. Só me restará depois apagar tudo o que já escrevi sobre ti.

Herrera

Sempre fresco fisicamente e com claras indicações para andar mais solto no terreno, Herrera fez o que se espera de um capitão num jogo em que a equipa acerta em tudo o que faz: deixou os outros brilhar enquanto se concentrou em dar uma grande cacetada no árbitro. Aconteceu por volta do minuto 40 e, uma vez que já tem a braçadeira e todo o meu amor, penso que só nos resta erguer-lhe uma estátua.

Otávio

Fez, provavelmente, a melhor exibição com a camisola do FC Porto, com assistências para golo, recuperações fulcrais e uma grande variedade de opções colocadas ao dispor da equipa. Também sofreu um penálti que ficou por assinalar – apenas o primeiro de muitos, certamente. Tempos houve em que Otávio me teve à porta, a gritar-lhe para sair do onze, acreditando estar a zelar pelo bem-estar da equipa, mas, felizmente, não tenho poder nenhum para obrigar pessoas a sair de casa em caso de incêndio.

Brahimi

O mercado em Inglaterra já fechou, portanto já podemos dizer: AHAHAHAH! How stupid can you be, english football clubs? Richarlison? Shaqiri? For how many millions? AHAHAHAH! What a bunch of idiots! (O quê? Reabre em Dezembro?) Very bad game by Brahimi. Another one. Move along, nothing to see here.

André Pereira
Tem a difícil tarefa de substituir aquele cujo nome só após o fecho do mercado inglês pôde ser mencionado. (Na verdade, Marega, a pessoa que joga o futebol mais esquisito de todo o mundo, não seria bem substituído por Messi. Será provavelmente a única coisa que o argentino não conseguiria fazer em termos futebolísticos: substituir Marega. Pensemos nisto.) Mas André Pereira portou-se muito bem. Participou, tocou, simulou muito bem no primeiro golo e, para já, fez-nos esquecer que Marega nos deve uma Walk of Shame ao estilo de Cersei Lannister em Game of Thrones.

Aboubakar

Desde fevereiro que não marcava um golo, o que, na vida de um ponta-de-lança, deve ser o mesmo que uma criança estar há seis meses sem fazer uma birra. Hoje marcou dois e ainda assistiu outro, mas falhou muitos mais, sinal de que não esqueceu por completo o que andou a fazer desde fevereiro e de que posso ter que embirrar com ele mais vezes nos próximos seis meses.

Corona

Pouco depois de entrar, lançou um belo arremeço para dentro da baliza do Chaves. Ah, estava mortinha por escrever isto...

Adrián López
Quase que fazia o 6-0, mas ainda bem que falhou, porque iria descredibilizar toda a exibição do Chaves até aí. Sérgio Conceição deu-lhe um grande abraço e fez-lhe elogios na flash-interview, provando que o nosso treinador está convencido que é capaz de transformar qualquer um num jogador útil para a equipa. E, nesta altura, já todos temos de acreditar que sim.

Marius

Estreou-se na Liga portuguesa com um golo, o quinto e último da equipa esta noite, provocando infelizmente um sorriso aos engraçadinhos que já comentavam que “hoje até o Marius marca”.