Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

Este penálti sobre Felipe foi mesmo a maior alegria que Eder já deu a Lá Em Casa Mando Eu

A vida do FC Porto na Rússia não estava fácil, mas houve um português a ajudar: Eder, que cometeu um penálti sobre Felipe - e que merece todos os elogios de Lá Em Casa Mando Eu

Lá Em Casa Mando Eu

KIRILL KUDRYAVTSEV

Partilhar

Casillas

Defendeu um penálti e foi o líder de sempre nas horas apertadas (adoro ouvir aquele “FUERA!” depois de aliviarmos um canto contra nós) no seu jogo 170 na Liga dos Campeões. Cento e setenta. É muito. É tanto que o Benfica, se jogasse 170 jogos na Champions, era capaz de fazer aí uns 10 pontos.

Maxi

Foi talvez o elemento da defesa que menos se destacou na bela arte de fazer cagada. Não que não a tenha feito, só que deu menos nas vistas. Não se percebe como é que uma equipa que até teve de ir de metro para o jogo tenha passado tantas vezes pela nossa defesa como se andasse de mota.

Felipe

Não teve uma atuação propriamente brilhante na defesa, mas foi ele que sofreu a falta na grande área do Lokomotiv que começou por nos dar vantagem. Da maneira como estava o jogo, este penálti foi mesmo a maior alegria que o Eder já me deu.

Militão

Acusou demasiado o facto de não ser o melhor Eder em campo. Foi dele o erro que permitiu o golo do Lokomotiv, mostrando que, afinal, também é humano.

Alex Telles

Surpreendentemente permeável, tendo feito um penálti um bocadinho tonto e tendo sido ultrapassado algumas vezes sem fazer muita oposição. No fundo, uma perigosa metáfora da esquerda brasileira. Mas arrancou os habituais cruzamentos perigosos e safou algumas bolas na pequena área, mostrando que ainda há esperança para a democracia no próximo domingo.

Danilo

Começou bem a partida, a pressionar alto e a roubar algumas bolas, mas depois permitiu demasiadas interações russas à entrada da nossa área. Provavelmente, sentiu a pressão de não ser o único comendador em campo.

Herrera

Finalizou, de cabeça, uma das melhores jogadas coletivas da época e acabou a sacar a expulsão de um russo, mostrando que não precisa de mais seis milhões de euros para arriscar estragar aquele corpinho perfeito.

Óliver

Parece que os astros finalmente se alinharam na hora de escolher o 11 e Óliver correspondeu à titularidade com alguns daqueles passes que só ele sabe fazer. No entanto – e apesar de o termos visto em várias recuperações de bola –, a equipa pareceu mais desequilibrada a defender, pelo que é preciso corrigir isso. Quando foi substituído, ouvimos o treinador explicar-lhe que foi porque já tinha cartão amarelo, antes que ele fosse aquecer para não entrar novamente.

Corona

Uma assistência e um golo: se o relógio da Catarina Martins vale 20 milhões de euros, o Corona vale no mínimo uns 35 depois deste jogo. #fakenews


Brahimi

(Música do Tetris: Tan tararan tararan tararan tararan tarantantantan) Slalom aqui, slalom ali, o argelino passou o jogo em fintas e em toques curtos como gosta. Como nós gostamos. O passe para o terceiro golo deu aquela sensação de quando nos saía aquele pauzinho do Tetris mesmo perfeito para encaixarmos no canto e fazermos 4 linhas. Tan tararan tararan tararan tararan tarantantantan.

Marega

Marcou o primeiro golo da partida, de penálti, naquela que foi a exceção a uma noite de muito... show de bola.

André Pereira

Continuo a gostar do que acrescenta à equipa, sobretudo quando ganhamos confortavelmente e eu não preciso de me chatear muito.

Adrián López

Desta vez desiludiu um pouco, ao não marcar os habituais quatro golos.

Bazoer

Ainda teve duas oportunidades para fazer o 1-4, mas, agora que estamos a jogar com os três melhores no meio-campo, ainda bem que não está na hora de estragar isto com mais uma opção válida.