Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

Este foi um daqueles dias em que Lá em Casa Mando Eu teve vontade de dizer a Marega: "Meu querido, não vales grande coisa, mas és o maior"

Lá em Casa Mando eu viu ainda Casillas salvar o FC Porto na 1.ª parte deste jogo frente ao Marítimo para a 2.ª ser passada com a competência do costume: a pensar na vida, a incentivar os colegas e a pintar as unhas como a Isabel Moreira

HOMEM DE GOUVEIA/LUSA

Partilhar

Casillas

Com o Marítimo pouco interessado em fazer mais do que defender, coube a Iker Casillas a ingrata tarefa de estar pronto a intervir corretamente daquela única vez que eles conseguissem fazer uma jogada de perigo. Assim foi, aos 28 minutos, com uma boa defesa a remate de Joel. O resto do tempo foi passado com a competência do costume: a pensar na vida, a incentivar os colegas e a pintar as unhas como a Isabel Moreira.

Maxi

Nesta mesma jogada de perigo do Marítimo, não percebi muito bem as opções tomadas por Maxi em termos de deslocação, mas pode dar-se o caso de o nosso lateral uruguaio estar apenas a frequentar as mesmas aulas de biodanza do deputado do PAN. Mas imagino que o ambiente lá deve ser tenso, uma vez que Maxi trabalhou tantos anos num circo (PERCEBERAM? AH! AH! AH! Humor incrível).

Felipe e Militão

A nossa dupla de centrais está cada vez mais consolidada e, por esta altura, já poucos se lembram que no verão perdemos um tal de Marcano para a Roma a custo zero. Ouviste, Herrera?

Alex Telles

Continua a despachar cruzamentos e bolas paradas como o presidente do Benfica despacha emails: ok, ok, ok.

Danilo

Foi novamente capitão e desempenhou o papel na perfeição, embora lhe gabe a paciência para se indignar com Carlos Xistra por permitir a agressividade desmedida dos maritimistas. É curioso que desde aquele anúncio com a Sophia que não via o senhor comendador a falar para um ser não humano.

Óliver

Teve dificuldades em pegar no jogo na primeira parte e certamente haverá mais momentos em que estará demasiado sozinho no meio-campo, mas o bom de se ter Óliver sempre em campo é que existe uma grande probabilidade de haver tempo para ele fazer alguma coisa brilhante. Seja isso o início ponderado de uma jogada de golo, ou uma corrida desenfreada a olhar para todos os lados, à procura do melhor colega para finalizar. Óliver podia ter feito tanta coisa ali: fintado, chutado, festejado até quem sabe um golo seu. Mas não, procurou sempre a equipa, aliás, procurou sempre a melhor solução possível para a equipa. Para Óliver, ao contrário da BTV, nunca há planos fechados.

Corona

Não foi fácil manter-se vivo, tal foi a vontade com que os adversários o receberam. Sofreu várias entradas duras, uma delas claramente para cartão vermelho, e quase deu para bater aquela saudade do treinador português que manda os jogadores todos lá para trás distribuir fruta.

Brahimi

Andou mais pelo meio, até pela ala direita, mas não conseguiu furar assim tantas vezes a defesa maritimista. A grande exceção foi a jogada do primeiro golo (e que grande jogada), mas no restante tempo esteve quase tão escondido como os lenços brancos na BTV.

Marega

Falhou um penálti quando ainda não estávamos a jogar o suficiente para ganhar, mas compensou depois com um grande toque para Otávio no primeiro golo e a marcação do segundo. Enfim, já sabemos que dele podemos esperar quase tudo, sobretudo uma enorme oscilação entre a vontade de o estrangular ou de o abraçar e dizer: meu querido, não vales grande coisa, mas és o maior.

Soares

Fez uma primeira parte a roçar o miserável, mas redimiu-se com o penálti sofrido e a participação no lance do primeiro golo. Contas feitas, numa escala de Rui Vitória a 10, leva um José Peseiro. Não, ok, 4.

Otávio

Entrou para mudar completamente o jogo e resolvê-lo, com um golo, uma assistência e a expulsão do Danny. Fiquei tão feliz que acho que fiz um bocadinho de xixi.

Mbemba

Quando entrou já alguns adeptos mostravam lenços brancos, provando que nos Barreiros há sempre uns quantos benfiquistas.

P.S. Herrera

Já estava prestes a enviar este texto quando reparei que me esqueci do Herrera. Eu sou assim: ainda agora estava a festejar aquele golo na Luz e já me habituei a não o ter por perto.