Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

Lá em Casa Mando Eu acredita que ver Óliver na luta é como ir a um espectáculo de Mozart e este arrasar numa atuação de stand-up comedy

O espanhol foi o melhor em campo mas não a fazer aquelas coisas que estamos habituados a ver e Lá em Casa Mando Eu avisa que isso é giro, entretém, mas não é para isto que a malta paga bilhete

Lá Em Casa Mando Eu

NurPhoto/Getty

Partilhar

Vaná

Foi vítima do chamado “golo à Benfica”, que resulta do azar de defender uma bola e ela ir bater num gajo que a enfia lá dentro e que ainda por cima pode ter vindo do braço de um deles. A melhor parte de Vaná ser titular é ver como se comporta Iker Casillas no banco: sofre mais do que eu, que nisto da Taça da Liga sou muito contida.

Militão

Conforme tenho vindo a alertar, é um problema por resolver na nossa defesa, que ainda assim sofre poucos golos, apesar das suas fracas exibições. Se eu soubesse fazer montagens de vídeos, já estava a fazer uma compilação daquelas duas ou três bolas metidas nas costas dele para mandar para Madrid. Além disso, sinto que tenho o dever de informar os adeptos, por exemplo, espanhóis de que Éder Militão deu hoje uma cabeçada num jogador do Benfica, podendo ter ficado confuso com os valores da cláusula de rescisão, pelo que não fiquem surpreendidos se ele agora vos exigir 150 milhões de euros para sair do FC Porto.

Felipe

Visivelmente abatido pela falta do joelho de Jonas por perto, teve de ir algures ao ataque dar uma pauladazita no André Almeida para lá ver um cartão amarelo. Não é a mesma coisa, nós sabemos, mas foi o que se arranjou.

Pepe

O Jonas???? Onde anda o Jonas???

Alex Telles

Está mais cansado do que eu, que escrevo de três em três dias sobre 14 jogadores do FC Porto.

Herrera

Antes do apito inicial, os capitães Jardel e Herrera trocaram as habituais cordialidades no centro do relvado: Jardel entregou-lhe um galhardete do jogo como recordação, Herrera entregou-lhe quase um sorriso. Foi o seu momento alto da noite.

Óliver

Destacou-se esta noite onde preferia não ter de o ver tanto: na recuperação, na intensidade, na luta até (literalmente) à relva para travar o remate de um adversário. Ser o melhor em campo nestas condições é talvez o equivalente a ir ver um espetáculo de Mozart e este arrasar numa atuação de stand-up comedy em vez de tocar umas cenas. É giro, entretém, mas não é para isto que a malta paga bilhete.

Corona

Fiquei com dúvidas num lance que protagonizou na área com Rúben Dias, se bem que, tendo em conta o adversário, penso que até não se pode queixar da pouca intensidade do choque. Fez uma boa primeira parte, com destaque para a assistência para o segundo golo e para as bolas paradas que marcou em vez do Alex Telles, facto que me baralhou tanto como o Rúben Dias no final do jogo, quando disse, e passo a citar: “O público esteve do nosso lado”. Errr, alguém vai ter de lhe explicar o que significam as letras dos Super Dragões.

Brahimi

Continua visivelmente limitado fisicamente, pelo que só conseguiu marcar um golo e fazer um passe magistral para o segundo. Não sei se isto é um jogador a mostrar que é um grande profissional em final de contrato, ou se é um jogador a implorar para lhe renovarem o contrato. Por via das dúvidas, eu ficava com ele.

André Pereira

Foi o escolhido para ir à flash-interview da Sport TV e, à primeira pergunta do jornalista, respondeu: “Sim, é um dérbi, não é?” Não, não é André. É um clássico. Como é que um gajo chega até aqui sem saber isto?

Marega

Marcou um daqueles golos saborosos, não só porque concluiu uma excelente jogada de futebol, mas sobretudo porque se seguiu ao golo possivelmente irregular do Benfica e àqueles longos minutos de análise do VAR. Vai não vai, mão ou não mão, e ele só à espera de os aniquilar com apenas um toque na bola. Entretanto, penso ter descoberto hoje o segredo de Moussa Marega: não faz duas coisas bem na mesma jogada. Se recebe bem a bola, passa mal. Se recebe mal, ainda remata bem. Se remata mal, pode ter sido um bom passe. Isto parece uma crítica, mas é um poder incrível. Ou era, até eu ter revelado isto e agora os adversários perceberem logo o que vai acontecer a seguir.

Soares

Obrigada por aquele passe para o terceiro golo. Adoro quando parece que não estamos a jogar nada e acabamos a ensinar os outros a jogar.

Bruno Costa

Acho que entrou só para calar aqueles chatos que sabem as regras todas da Taça da Liga.

Fernando

Matou o jogo em contra-ataque e levou os adeptos portistas à loucura, cantando dois olés de cada vez que conseguíamos fazer dois passes seguidos. Os adeptos do adversário aproveitaram para ir saindo do estádio, porque amanhã já têm de voltar lá.