Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

Lá em Casa Mando Eu viu Casillas a discutir com Militão gritando-lhe claramente: "Hombre, no vás para Madrid! Yo sei do que hablo!”

Mais uma incursão de Lá em Casa Mando Eu pelo castelhano, num noite de aselhice do seu FC Porto em casa do V. Guimarães, aselhice essa que Casillas foi obrigado a ver depois de defender alguns remates à figura e ir buscar uns quantos cruzamentos

Lá Em Casa Mando Eu

OCTAVIO PASSOS/EPA

Partilhar

Casillas

Defendeu alguns remates à figura e esteve seguro em todos os cruzamentos, passando o resto do jogo a fazer o mais difícil: aguentar a aselhice dos colegas lá da frente sem poder fazer nada. É para veres como eu sofro no sofá, Iker. Também foi visto a discutir com Militão, que o incomodou numa das saídas da baliza, gritando-lhe claramente: “Hombre, no vás para Madrid! Yo sei do que hablo!”

Militão

Una autenticia passadeira. Vitória de Guimaraes siempre muy peligroso por su banda. Parecie quie progride bien com a pelota, mas é tudo mentiria. Real Madrid, quieres un consejo? Ficha a Maxi Pereira. Muy joven. Mucho potencial.

Felipe

Dada a quantidade de vezes que Tozé ficou lesionado só com a sua aproximação, parece-me de mais elementar justiça que Felipe possa dar-lhe uma sarrafada à antiga sem castigo. Mesmo agora, depois do jogo acabar. Ou mesmo ir até casa dele.

Pepe

Algumas escorregadelas e precipitações, como se estivesse cheio de pressa para resolver os lances e não percebesse que basta ficar quieto e deixar o adversário perceber que vai enfrentar o Pepe, enervando-o, em vez de abordar cada lance como se estivesse na plenitude da sua juventude. É como quando um trintão sai à noite: deve manter uma postura casual a beber um gin e regressar a casa à meia-noite, dando um ar atarefado. Uma noite de shots até às tantas só vai dar problemas.

Alex Telles

Não sei onde é que ainda vai buscar forças para correr tanto: se é vontade de querer ganhar sempre, se é motivado pelas cadeiras que caem das bancadas em mais um domingo de enorme desportivismo em Guimarães.

Herrera

Mais uma boa exibição ao lado de Óliver, coroada com um cartão amarelo por protestos aos 99 minutos, furioso com um árbitro que não esteve à altura do jogo. Foi a maior demonstração de portismo de Herrera em muito tempo e foi a segunda maior demonstração de portismo da semana, a seguir à entrevista do hacker Rui Pinto.

Óliver

Mais um jogo de enorme intensidade, com recuperações de bola, muita corrida e pouco espaço dado aos adversários. Os passes que deixam os colegas com a tarefa facilitada na frente são só um pequeno pormenor. Infelizmente, não está a contagiar os outros com o seu estilo de jogo, mas sim com a sua aselhice na hora de marcar golos.

Corona

Foi um dos que falhou mais oportunidades esta noite, deixando o meu marido com um sorriso irritante enquanto me corrige as gralhas deste texto, pelo que aproveito para transmitir-lhe por aqui que hoje pode dormir no sofá.

Brahimi

Fez uma primeira parte ao seu nível, a mostrar a espaços por que razão é o melhor jogador da Liga. O argelino traz sempre 4 ou 5 lances em que se desfaz dos seus marcadores, atrai mais um e solta nos colegas, mas hoje não chegou. É como os pais que fazem o jantar preferido dos meninos, vão buscar o prato do Faísca McQueen e o copo dos PJ Masks, cantam uma canção e depois o miúdo borrifa-se naquilo tudo e atira o puré ao chão. Nesta imagem, Brahimi é os pais e os nossos avançados são o miúdo. Só para ficarmos esclarecidos.

Marega

Noite para esquecer do nosso Moussa. Primeiro tentou fazer um chapéu ao guarda-redes do Vitória e tudo estava a correr bem até a bola lhe tocar nos pés. Depois, no lance em que esteve melhor no jogo, o árbitro inventa-lhe uma falta antes do passe para um colega isolado. Mais tarde, num daqueles momentos em que ainda não percebemos o que ele está a tentar fazer, só um defesa do Vitória lhe corta o golo na linha. E acabou a lesionar-se sozinho, da única vez que recebeu bem uma bola, provando que somos nós que estamos errados: aquele corpo não está preparado para este tipo de futebol.

Soares

Começou a dar-me esperanças com um lance típico do bom avançado que é: recebe, roda e remata de longe para a trave. Depois foi mais um a juntar-se à ineficácia atacante, mostrando que até um bom carro a gasóleo pode desvalorizar rapidamente.

Otávio

Quando, aos 93 minutos, rematou pouco ao lado do poste da baliza de Douglas, muitos portistas terão percebido o mesmo do que eu: como é que é possível não termos marcado mais golos àquele Sporting?

Fernando

Marcou ao Benfica, marcou ao Sporting e, se tivesse marcado hoje, ninguém tinha ficado chateado.

Hernâni

É rápido.