Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

Quem é que está a chorar? Vocês é que estão a chorar!, diz-nos Lá em Casa Mando Eu após aquelas palavrinhas do Óliver

A Catarina Pereira, de Lá em Casa Mando Eu, não quer admitir mas quando o espanhol que brilhou no jogo frente ao Tondela disse que não tinha sido ele a chutar, tinha sido toda a equipa, toda a família e todos os portistas que lhe dizem para acreditar nele, é bem capaz de ter soltado uma lagrimita

Catarina Pereira, Lá em Casa Mando Eu

PAULO NOVAIS/EPA

Partilhar

Casillas

Muito seguro de cada vez que teve que enfrentar um remate de longe e com força daqueles gajos, perdão, jogadores do Tondela.

Manafá

Estava a fazer mais uma boa exibição até sair lesionado, demonstrando assim um enorme espírito de equipa, porque já não aguentávamos mais avançados com mazelas e mais valia sacrificar um defesa.

Felipe

Teve ali uma ou outra hesitação frente a Tomané, o que se entende, porque Tomané é mesmo nome de avançado que fuzila à mínima oportunidade. Por falar em oportunidade, para a semana pode haver Jonas...

Pepe

Regressou aos golos com a camisola do FC Porto. Já valeu a pena o Militão ter ido para a discoteca até às tantas. (Já agora, deixem-me que vos diga: por mim, toda a gente devia ser castigada por fazer uma noitada, não só os jogadores de futebol. Quero viver numa sociedade em que não sou a única a deitar-me às 10 da noite.)

Alex Telles

Continua a viver no limite de quem não sabe o que é uma noite de descanso há muito tempo. Felizmente não viu o quinto cartão amarelo, que o afastaria do próximo jogo do campeonato, da mesma forma que não foi o Sérgio Conceição que afastou o Jorge, mas foi o Jorge que se afastou da equipa.

Herrera

Marcou mais um golo e saiu mais cedo para evitar o quinto cartão amarelo. O treinador mostrou, desta forma, que Herrera irá de certeza jogar contra o Benfica. Falta saber se naquele estilo de “ai precisam de um canto para empatar? Tomem lá”, ou no outro de “vou mas é rematar já daqui, olha, marquei-vos um golo e estraguei-vos o campeonato. Quem diria, hein?”.

Óliver

Não sei se ainda há muito para dizer sobre Óliver Torres, o rapaz que, no fim de um jogo destes, disse o seguinte: "É verdade que tinha muitas saudades de marcar. Não chutei eu, chutou toda a equipa, toda a família e todos os portistas que me dizem: acredita em ti”. Quem é que está a chorar? Vocês é que estão a chorar!

Otávio

Anda sempre de cara feia, como se estivesse chateado por ter de dividir o meio-campo com o talento de Óliver e a beleza de Herrera, ou então partiu só o telemóvel a tentar ligar para o céu. (Esta foi só para ter aqui uma referência ao nível do mundo da música, só para não acharem que isto de escrever análises a um jogo da bola é só para grunhos)

Corona

Falhou um golo fácil na cara do guarda-redes, mas aparentemente estava fora de jogo, portanto é óbvio que tudo se ficou a dever ao seu enorme desportivismo.

Adrián

Pronto, acho que está na hora de parar de gozar com isto do Adrián agora ser um jogador da bola e assumir que estamos perante mais um milagre made in Conceição. Assim vai ser difícil tirá-lo da equipa, não que isso esteja em causa, uma vez que a concorrência está toda lesionada.

Fernando

Não marcou nas oportunidades que teve, mas não te preocupes, Fernando, vais ter de continuar a jogar porque não há mesmo mais ninguém.

Maxi

Entrou para substituir um lesionado (surpresa!) e assustar aqueles benfiquistas que ainda não o podem ver à frente.

Brahimi

Estivemos 70 longos minutos sem Brahimi em campo, mais ou menos o mesmo tempo que durou a greve de fome do senhor do sindicato dos enfermeiros.

André Pereira

Agora é rodar a equipa frente ao Braga para estar tudo fresco contra o Benfica. Estou a brincar. Nós temos lá gente que chegue para rodar!