Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

As pernocas que não seriam barradas no Estoril Open, a Humanidade salva por uns calções e as dicas para o verão (Lá Em Casa Mando Eu)

Aqui está a contracrónica de Catarina Pereira, de 'Lá Em Casa Mando Eu', que tira o chapéu à ausência de golos sofridos e ao calcanhar do maestro Brahimi

MIGUEL RIOPA

Partilhar

VANÁ
Participou em várias das bonitas homenagens a Iker Casillas, como a faixa que dizia “Força Iker!”, o nome “Iker” em todas as camisolas e a baliza inviolável. Bonito.

MANAFÁ
Estreou-se a marcar com a camisola do FCPorto numa jornada em que, curiosamente, tinha dado mais jeito que se tivesse estreado a marcar com a camisola do Portimonense.

FELIPE E MILITÃO
O que é que dizemos a sofrer golos hoje? Not today.

ALEX TELLES
Mais uma assistência para golo e 70 e tal minutinhos em cima daquelas pernocas que nunca na vida seriam barradas no Estoril Open.

DANILO
Cumprido o expediente de limpar o meio-campo e impedir o Aves de ter sonhos infantis, o senhor comendador assumiu que o bom tempo está a chegar e que tinha direito a divertir-se e a tentar marcar um golo. Rematou, subiu à área à procura de cruzamentos, mas nada. Parecia eu quando agora me convenço que vou ver um filme depois dos miúdos adormecerem: dou a volta à Netflix, leio reviews na net, vou ver as listas de Óscares passados e depois adormeço às 21h30.

HERRERA
Foi protagonista do momento mais sensual da noite, quando os calções lhe caíram, tendo a Humanidade sido salva por uns calções interiores. Levou cartão amarelo e por isso não joga o próximo jogo, o que significa que só lhe faltam duas partidas contra o Sporting para se despedir do FCPorto. Que saída inglória, coitado.

CORONA
Ainda estava em êxtase, com a marcação do primeiro golo da noite e a sensação de mais uma boa exibição de Corona, quando o comentador fez questão de referir um dado estatístico no mínimo desencorajador e no máximo extremamente desagradável: este foi apenas o segundo golo no campeonato marcado por Corona. Segundo. De um jogador que esteve bastante tempo em campo ao longo da época. E que é extremo, tirando quando teve de ser lateral direito, coitado, que a vida não está fácil para ninguém. Ora, é favor passar o verão a chutar à baliza se faz favor. Em casa, na praia, onde for preciso. Que isto é uma vergonha.

BRAHIMI
Teve alguns pormenores de maestro, sobretudo em zonas mais centrais do terreno, e acabou por brilhar com o passe de calcanhar para o quarto golo da noite, quando parecia que a jogada estava perdida. Esperemos que tenha sido um sinal para aquela renovação que já parece perdida, mas que, vá, ainda pode ser salva com uma assinatura de calcanhar, ou do que for preciso, quero lá saber, ASSINA HOMEM!

MAREGA
Confesso que tenho imensas saudades daqueles tempos em que vinha aqui mandar umas piadas sobre o que o Marega jogava, tendo em conta que, ainda assim, o Marega tinha acabado de resolver o jogo. Agora só me restam as piadas sobre o que o Marega joga. Sabe a pouco, como imaginam.

SOARES
Dois golitos marcados contra um adversário que ainda está a pensar em continuar a defender pela noite dentro este 4-0. Ah, que saudades destas velhas táticas do futebol português! Mais Inácios, menos Ivos e Castros. Mais pontos, menos equipas lamentáveis que nos incomodam.

OTÁVIO
Houve ali um momento em que parecia que Sérgio Conceição ia fazer entrar Otávio e Óliver ao mesmo tempo, mas depois o FCPorto fez mais dois golos e o treinador pensou “Bem, vou mas é poupar o Óliver” e mandou o Otávio entrar sozinho.

ÓLIVER
Depois arrependeu-se.

ABOUBAKAR
Bonita ovação do Estádio do Dragão para este regresso. Nunca saberemos o que teria sido esta época com Aboubakar em forma. Será que teríamos marcado mais golos? Será que ele teria sido só mais um a falhar muitos? Será que não dá para começarmos isto de novo só para tirar esta dúvida?