Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

O FC Porto foi penta há 20 anos e Lá em Casa Mando Eu lembra-nos o seguinte: estamos velhos

Catarina Pereira relembra aquele 22 de maio de 1999, quando o FC Porto se tornou no único pentacampeão da história do futebol português e dos bons tempos em que as duas equipas da cidade disputavam títulos entre si

Catarina Pereira, Lá em Casa Mando Eu

David Rawcliffe - EMPICS/Getty

Partilhar

Faz hoje 20 anos que o FC Porto se tornou pentacampeão nacional de futebol. E isto tem de ser uma data a assinalar por várias razões, sendo a principal a seguinte: estamos velhos.

Não há como o esconder. Há uma linha que separa as pessoas que celebraram/detestaram este penta, das que nem se lembram dele. Nem sequer vou referir as que não eram nascidas em 1999, porque o ano 2000 ainda é, obviamente, uma coisa do futuro.

Por outro lado, há algo a que me agarrar nesta efeméride: não tinha idade suficiente para me terem deixado ir a Alvalade, naquele 22 de maio.

Estava em casa, com a família e começámos por ver o Farense-Boavista, porque era com os nossos vizinhos portuenses que disputávamos esse título (ah, bons tempos!). Foi um jogo, em geral, bastante desagradável, fora aqueles minutos finais.

Para quem não se lembra (demasiado jovens para ler isto, portanto), o Boavista esteve a ganhar 2-0 e tinha mesmo de vencer para o FC Porto não ser campeão logo naquele dia (ficavam a faltar duas jornadas, julgo). Nos minutos finais, o Farense empatou o jogo e deu-nos o título. No S. Luís celebrou-se aquela sensação muito agradável de deixar um boavisteiro furioso; em Alvalade celebrou-se um pentacampeonato.

A equipa ainda estava no balneário quando soube e os jogadores ainda hoje juram a pés juntos que não tocaram no champanhe antes do jogo. Como ainda só passaram 20 anos, nós fingimos que acreditamos.

Para a história ficou aquela imagem dos onze, alinhados para a foto, e com os cinco dedos da mão bem abertos. Vítor Baía, Jorge Costa, Aloísio, Deco, Zahovic, Capucho, Drulovic, Jardel… Enfim, difícil era algum deles não ter lugar no FC Porto de hoje.

Nem me lembrava quanto tinha ficado o jogo, porque em minha casa acho que o champanhe não foi guardado até ao fim. 1-1, fui confirmar agora, marcaram Pedro Barbosa e Zahovic.

Seguiu-se uma bela noite dos Aliados - a minha última, devo dizer. O FC Porto foi campeão muitas vezes entretanto, mas ainda não voltei lá. Temos que tratar disso.

Custa um bocadinho perceber que isto faz hoje 20 anos. Sobretudo porque, não sei se já vos disse, estamos velhos. E porque o meu avô, o maior portista do mundo, já não está cá para falarmos disto.

Aos mais novos, que não podem falar sobre isto, nem com os avós nem com ninguém, só posso recordar-vos o seguinte: lembram-se, no ano passado, o tanto que outros queriam ser penta? Era por isto. Era porque foi incrível. Era porque só nós é que conseguimos isto. Era porque todo o mundo tenta, mas só o Porto é penta!

  • O Engenheiro do Penta nasceu há 20 anos. Esta reportagem também

    FC Porto

    Hoje, 22 de maio de 2019, passam-se exatamente 20 anos sobre o dia em que o FC Porto chegou ao pentacampeonato (1-1, em Alvalade, jogo para o qual entraram já campeões em virtude do empate do Boavista com o Farense). Nenhuma outra equipa fez o mesmo antes ou depois. Esta reportagem, com Fernando Santos e a sua família, foi escrita também há 20 anos, é agora republicada - depois de a ler, perceberá que o engenheiro mudou pouco ou nada desde então. O artigo "O Engenheiro do Penta" foi publicado na revista do Expresso em maio de 1999