Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

Felipe e Militão vendidos, Herrera e Brahimi com cenas para fazer, Soares vai para onde chutava: China. Só dá para rir (Lá Em Casa Manda Eu)

Catarina Pereira escreve um texto irónico sobre o modus operandi do seu FC Porto no mercado de transferência

Catarina Pereira, Lá Em Casas Mando Eu

Anton Novoderezhkin

Partilhar

O verão chegou no dia 21 de junho e, com ele, toda aquela vontade de beber um fino na praia ao fim da tarde, enquanto se lê as últimas notícias do mercado de transferências e se comenta tudo com o grupo de amigos cool e divertido que tem tempo para estar connosco neste cenário incrível e tranquilo, ou, como se diz entre mães e pais, AH! AH! AH!

Bem, dizia eu, já estamos no verão e é suposto andarmos preocupados com entradas e saídas dos nossos clubes. Ora, devo dizer-vos que, para variar, eu estou bastante calma com tudo isto. Acho que aquela época em que só comprámos o Vaná e acabámos campeões foi essencial na minha vida, colocando em perspetiva toda a importância que eu dava a este momento de supostas decisões. Vaná pode não ser um excelente guarda-redes (fica a dica), mas terei sempre a agradecer-lhe esta aprendizagem, este dosear das minhas expectativas.

Enfim, o que interessa é ter saúde. E agora, se eu fosse pessimista, lembrava que nem isso temos, porque é muito provável que tenhamos perdido Iker Casillas.

Pronto, e assim está dado o pontapé de saída para a análise do plantel do FC Porto para 2019/2020, uma época um bocadinho assustadora, porque significa que vai fazer 20 anos que fomos roubadinhos em Campomaior por um árbitro chamado Bruno Paixão. E digo assustadora não só porque Bruno Paixão ainda continua ligado à arbitragem, mas sobretudo porque me lembro desse jogo como se tivesse sido ontem, embora tenha acabado de constatar que foi há quase 20 anos. (Um pequeno aparte para avisar todas as mulheres que decidirem avançar para a maternidade: nós ficamos sem memória. Às vezes, ficamos mesmo estúpidas. Mais lentas, vá. A boa notícia é que não há hormonas ou privação de sono que vos tirem aquele Campomaiorense-FC Porto de 1999/2000!)

Onde íamos? Ah, o plantel. Ora, Militão e Felipe estão vendidos, Herrera e Brahimi têm cenas para fazer noutros sítios e cá me cheira que os contratos de Adrián López e Hernâni não são para renovar. Entretanto, uma pausa para lamentarmos todas as análises que perdemos para a próxima época, quando Hernâni entrasse em campo e eu automaticamente pensasse “pronto, é só dizer que é rápido”, enquanto vocês já imaginavam “pronto, lá vai ela dizer que ele é rápido”. E assim se fazia grande comédia na Tribuna, é lamentável que nos tirem isto.

São cinco titulares de fora assim num instante, mas eu só estaria preocupada se estivéssemos a falar do guarda-redes, da dupla de centrais, do capitão e do desequilibrador. Se assim fosse, seria muito difícil construir uma nova equipa. Mas não é, não tem nada a ver, daí a minha calma.

Há ainda a possibilidade de Soares ir para a China e eu não tenho problema nenhum com isso, porque já me habituei a que os avançados do FC Porto chutem muitas bolas para lá. De Aboubakar só se espera que ainda tenham sobrado algumas peças e por Marega reina aquele silêncio que é uma mistura de oração contínua para que um qualquer milionário o leve e de reflexão profunda sobre o que seremos sem ele.

Ora, só estamos a falar de todos os avançados do plantel. Bem, há André Pereira e Fernando Andrade, mas vocês perceberam o que eu quis dizer com todos. Portanto, continuo a não ver motivos de preocupação. Tudo pacífico por aqui. O FC Porto de 2018/2019 já tinha uma relação difícil com os golos e até podia ter sido campeão, por isso duvido que seja por aí uma das formas de sermos, de facto, campeões. Nada disso, não vou gastar nem mais uma linha a falar desse aspeto do jogo. Afinal, quem é que quer saber dos golos no futebol? Ninguém, ninguém. Avancemos.

Apesar de todos estes dados que aqui resumi de forma totalmente zen, ainda há quem critique o mercado de transferências do FC Porto. Isto mesmo depois de termos ido buscar um lateral-direito, precisamente a posição que desvalorizámos no último verão, esquecendo-nos de não os vender a todos. Portanto, aprendemos com o erro e pumbas, desta vez não perdoámos! Sabe bem apreciar a consistência destas movimentações. Sobretudo a mim, que não tenho visto a CAN nem as exibições do Saravia. Estou super-relaxada.

Entretanto, vamos lendo que pode vir aí alguém, mas depois esse mesmo alguém acaba desviado para outro clube, para outra comissão. Ora, e aqui vou ter de sair um bocadinho da minha posição de yoga para vos garantir que ainda está longe de chegar o dia em que eu vou ficar chateada por perder um jogador chamado Bruma por não querermos pagar o suficiente a um empresário chamado Cátio Baldé.

Dito isto, estarei sempre do lado de quem lutar contra estes negócios vergonhosos que imperam no futebol e contra todos os indivíduos que se aproveitam deste belo desporto, dos nossos clubes e dos protagonistas para ganhar dinheiro. O FC Porto está no rumo certo ao não ceder ao interesse de nenhum empresário! Muito bem! Contem comigo! Não queremos jogadores a qualquer preço! Aliás, como isto está, parece que nem queremos jogadores! Mas está tudo bem! Tenham calma, caraças! O verão ainda agora começou!

Vão mas é beber um fino na praia ao fim da tarde, enquanto leem as últimas notícias do mercado de transferências e comentam tudo com o grupo de amigos cool e divertido que tem tempo para estar connosco neste cenário incrível e tranquilo, ou, como se diz entre portistas, AH! AH! AH!