Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

Pronto, agora é que vai ser: gosto de ver todos os jogos em que o Bernardo joga. Até nestes

Catarina Pereira, de Lá Em Casa Mando Eu, fez análise aos jogadores que disputaram o encontro com a Sérvia e confessou-se fã daquele que um dia jogou num clube que não o dela

Catarina Pereira, Lá Em Casa Mando Eu

Srdjan Stevanovic - UEFA

Partilhar

Rui Patrício
Não teve nenhuma culpa nos dois golos sofridos e até estava a ter uma noite calma até aí, o que julgo ser bastante merecedor para alguém que tem de ser guarda-redes na Premier League.

Nélson Semedo
Teve algumas dificuldades defensivas que foram evidentes. Não queria ser eu a ter de dizer o que estamos todos a pensar, mas cá vai: quando se decide não levar Cédric para levar os laterais do Barcelona e do Manchester City, temos de estar preparados para estas consequências nefastas.

Rúben Dias
Levou cartão amarelo pela ação mais inofensiva que teve num jogo de futebol e acabou o jogo zangado com Matic, porque ambos estavam a discutir quem tinha mais vergonha por jogar ou ter jogado no Benfica. É um assunto delicado, mas que considero pertinente.

José Fonte
Aos 30 minutos, teve uma entrada impetuosa sobre o adversário e confesso que fiquei surpreendida, porque o tenho como o ser humano mais pacato da história. Só que depois lembrei-me que pode estar sob influência de Rúben Dias, que era capaz de transformar um panda e um pinguim numa dupla de assassinos de pandas e pinguins fofinhos.

Raphael Guerreiro
Muito bom o passe para Bernardo Silva no quarto golo. Tecnicamente falando, claro, porque em termos de decisão foi terrível, pelo menos para ele, que agora vai ter de viver sabendo que uma vez não passou a bola ao Cristiano Ronaldo.

Danilo
Esteve muito bem na marcação de Milenkovic naquele canto aos 68 minutos, e quando digo marcação não é o ato de marcar o adversário, mas mesmo o ato de ajudar à marcação do golo da Sérvia.

William Carvalho
Marcou o primeiro golo da noite, quando apareceu na área a encostar, após uma confusão da defesa e do guarda-redes sérvios, provando que é rápido a aproveitar os erros dos outros. (Vocês não sabem, mas apostei com o meu marido que era capaz de escrever rápido na análise ao William sem ser irónica. Penso que o objetivo foi atingido).

Bruno Fernandes
Não parece o Bruno Fernandes do Sporting e claro que agora podia dar-vos uma enorme explicação tática sobre isto, mas vou deixar-vos só com uma reflexão: nesta altura, parece só aquele aluno que entra na universidade na segunda ou terceira fase e já não consegue enquadrar-se com os amigos, demorando a ser convidado para as festas.

Bernardo Silva
Pronto, agora é que vai ser: estou numa fase da vida em que já não tenho vergonha de assumir que gosto de ver todos os jogos em que Bernardo Silva está em campo. Mesmo que sejam os da seleção.

Gonçalo Guedes
Como se não bastasse ter o descaramento de surgir no onze em vez de João Félix, ainda marcou um grande golo só mesmo para chatear. Enfim, há gente assim.

Cristiano Ronaldo
Ouviu imensos assobios dos adeptos sérvios, certamente pela sua conhecida opinião sobre a geopolítica dos Balcãs. Acabou por marcar o habitual golo aos 80 minutos, declarando independência desta mania de o irritarem.

João Cancelo
Entrou para substituir o lesionado Nélson Semedo e, obviamente, também não esteve ao nível de Cédric.

João Félix
Os adeptos da Sérvia não o assobiaram tanto como a Cristiano Ronaldo, o que é estranho, porque nós aqui estamos todos convencidos que eles são um só.

João Moutinho.
Saudades.