Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

Soares tem um enorme potencial para acabar a carreira no Portimonense e falhar uma ocasião de golo contra o FCP (Lá em Casa Mando Eu)

A análise de Catarina Pereira aos jogadores do seu FC Porto que venceram o Portimonense, no Dragão, por 1-0, com um golo de Alex Telles, que está com “o pé quente para marcar golos, sobretudo quando não sabemos como os fazer”

Catarina Pereira, Lá Em Casa Mando Eu

Quality Sport Images

Partilhar

Marchesín

Uma noite com poucas intervenções, fruto do bom trabalho dos seus colegas, que conseguiram ir anulando as rápidas transições ofensivas do Portimonense, equipa estrategicamente colocada em penúltimo lugar, chegando a fazer-me acreditar que ia ter uma noite de domingo tranquila. Ah ah ah que engano, Catarina, que engano.

Corona

Teve muitas dificuldades a defender, porque o Portimonense fez batota e meteu um bom jogador a explorar o facto do FCPorto jogar sem um lateral de raiz. Estávamos já todos a questionar a sua colocação ali, quando apareceu no ecrã Manafá (levou amarelo nos festejos do golo) e então tudo desapareceu.

Mbemba

Está cada vez mais seguro e parece preparado para fazer todos os jogos que Pepe precisar. Ou o Marcano. Ou o Manafá. Ou o Danilo. Ou o Alex Telles. Ele é versátil, não sei se já perceberam.

Marcano

Faz hoje exatamente uma volta que nos deu uma vitória ao minuto 97 em Portimão, como se fosse preciso esperar até aos últimos minutos para vencer esta equipa!

Alex Telles

Valeu três pontos importantíssimos e está com o pé quente para marcar golos, sobretudo quando não sabemos como os fazer. SOMOS TODOS ALEX TELLES.

Uribe

Foi um dos elementos que demonstrou maior cansaço, o que se compreende devido à difícil eliminatória europeia. Aliás, toda a falta de vontade de vencer hoje foi perfeitamente justificável, uma vez que, quando se está a sete pontos do primeiro, é mais normal andar tudo a correr que nem loucos. Agora, só a um, não dá tanta vontade, como é óbvio.

Sérgio Oliveira

O mesmo que Uribe, mas com aquele rosto todo vermelho desde o início do jogo, mostrando ao adversário as nossas evidentes fraquezas. Para a próxima é meter uma base antes, se faz favor.

Otávio

O mesmo que Uribe e Sérgio Oliveira, mas sem a parte do cansaço e do rosto vermelho. Foi só mesmo desinspiração.

Luis Díaz

Está demasiado individualista e olha mais para a relva do que devia. Mas claro que tem um talento desequilibrador acima da média. Tudo junto, nunca pensei que fosse possível transcrever antigas análises ao Brahimi assim tão facilmente.

Marega

Ao minuto 11, o Dragão levantou-se para aplaudir Marega pela coragem demonstrada no último domingo. E pronto, por ele foi isso.

Soares

Mais um jogo sem marcar e um enorme potencial para, daqui a uns anos, acabar a carreira no Portimonense e falhar uma ocasião de golo contra o FCPorto.

Zé Luís

O mesmo que Soares, curiosamente.

Nakajima

É impossível não reparar na forma como muda o jogo e em como foram úteis os 20 milhões pagos pelo seu passe, evitando que hoje o Portimonense pudesse estar ainda mais forte.

Romário Baró

Vai passar esta noite em primeiro lugar, coisa que nenhum portista esperaria no mês de Fevereiro. E provavelmente em Março. Muito pouco possível em Abril. E quem sabe em Maio. Vamos a isso, então.