Tribuna Expresso

Perfil

Lá Em Casa Mando Eu

Lá em Casa Mando Eu pergunta: quem será o melhor jogador da Liga? Tecatito? Corona? O lateral Tecatito? Ou Tecatito, o extremo?

Catarina Pereira tem dúvidas nesta que é uma discussão interessante, que vai continuar a acompanhar certamente. E agora vai ouvir som de passarinhos a chilrear, ou uma daquelas músicas que a malta freak mete para falar com as árvores, ou comer sementes de unicórnio fofinho, ou dançar biodanza, para esquecer aquilo que se passou com Marega

PAULO NOVAIS/LUSA

Partilhar

Marchesín

É injusto interromper a série de jogos sem sofrer com um penálti daqueles tão totó, como também seria injusto o mundo acabar, se ele não tivesse fechado as pernas a tempo de evitar o empate do Tondela, nos minutos finais. Fechou, e fechou bem, que ainda temos muito por viver.

Manafá

Caiu na área, mas o árbitro não marcou penálti. Correu muito, mas dali não saiu nada de especial. Aliás, deve ser o jogador que mais vezes provoca a seguinte composição de uma frase no comentário desportivo: “Qualquer coisa, mas…” O que vem a seguir ao “mas” não interessa, vai variando, às vezes é justo e às vezes não é. Mas é.

Mbemba

Ganhou o lugar com toda a justiça. É calmo, rápido quando é preciso e sabe esperar também. Sem ser agressivo, é duro, mas também tem diplomacia suficiente para resolver o conflito israelo-árabe, ou, se querem algo mais próximo mas igualmente denso, as birras do Marega.

Pepe

Calma, isto ainda não é hora de festejar. Com a sua experiência, Pepe deve estar farto de explicar aos mais novos que ainda faltam três pontos e que nada está ganho.

(corta o plano para uma Catarina Pereira eufórica a atirar um repórter à piscina)

Alex Telles

No último jogo, deu o exemplo, deixando o miúdo bater um livre e festejando com ele o golo. Os grandes homens são assim: humildes, seguros do seu valor e encorajadores para com os que os rodeiam. Os grandes jogadores também. Os grandes líderes ainda mais. Estou a lembrar-me disto só por lembrar, mesmo. E agora vou escrever um livro de auto-ajuda.

Sérgio Oliveira

Saiu lesionado ainda na primeira parte e, ao que tudo indica, não poderá jogar mais esta época. No entanto, ao que parece, ainda poderá festejar. CALMA URIBE, ainda não estou a falar contigo.

Uribe

É um dos vários jogadores que não vai poder jogar contra o Sporting, o que não me surpreende nada, porque, com a sorte de Rúben Amorim, já me darei por contente se houver 11 seres humanos em campo, a respirar, mais 11 equipamentos disponíveis, que não tenham tingido na máquina na véspera, mais uma infraestrutura que não tenha sido atingida por um meteorito do tamanho daquele que acabou com os dinossauros. Exagero? Claro que não, deixem-me estar.

Otávio

Eu sei que, ao longo do ano, usei muitas vezes estas análises para brincar com Otávio, mas, no fundo, bem sei o quão necessário ele é nesta equipa. Hoje ele até sofreu uma falta e contou até dez, provando-me como estive tantas vezes enganada.

Corona

Há imensas dúvidas entre os especialistas sobre qual será o melhor jogador da Liga 2019/2020: se será Tecatito, se será Corona, se será Tecatito o lateral, ou Tecatito o extremo, ou Tecatito o médio, ou Tecatito o segundo avançado, se será Corona o lateral, ou Corona o extremo, ou Corona o médio, ou Corona o segundo avançado. É uma discussão interessante, que vou continuar a acompanhar certamente.

Marega

(som de passarinhos a chilrear, ou uma daquelas músicas que a malta freak mete para falar com as árvores, ou comer sementes de unicórnio fofinho, ou dançar biodanza, que era mesmo o que eu precisava neste momento para esquecer tudo que se passou)

(ou então imaginem só o que o Sérgio lhe há de ter dito no balneário)

Soares

Para avançado, é verdade que não anda a marcar muitos golos, mas pelo menos quando está alheado do jogo e perde bolas ninguém fica a pensar que foi de propósito para prejudicar a equipa. É mesmo dele, a sério, é genuíno.

Danilo

Entrou em campo devido à infelicidade de Sérgio Oliveira, mas virou esse azar a nosso favor com o golo marcado, de cabeça, num canto. O FC Porto continua exímio naquele momento do jogo inventado por Jorge Jesus.

Fábio Vieira

Marcou o penálti, que era a parte mais fácil. Agora tem de reconquistar o coração de Marega.

Luis Díaz

Por falar nisso, vou usar aqui um pouco de espaço para vos falar sobre um tema que não tenho explorado muito, mas do qual sinto que tenho imenso para dizer: maternidade. Os meus filhos têm 1 e 4 anos. Às vezes, quando são contrariados, precisam que eu os deixe um bocadinho sozinhos, a chorar e a bater com os pés no chão, e depois passa-lhes e eu dou-lhes colinho e mimos. Como não sabem lidar bem com a frustração, entendo que há ali um momento só deles, em que algumas regras são ultrapassadas, mas sanadas, por um bem maior, que é a estabilidade emocional da nossa família. Se sentirem que isto se aplica de alguma forma a um momento deste jogo e a uma personagem específica, espero ter ajudado. Se ainda acharem que ajudei mesmo, lembro que os meus filhos têm 1 e 4 anos.

Diogo Leite

Entrou para o sofrimento final. Se bem que aquilo já nem foi bem sofrer. Sofrer sofri eu para parir dois filhos. Isto foi muito pior.