Tribuna Expresso

Perfil

Liga dos Campeões

Conceição: "A frase do Totti? Talvez tenha sido pela antipatia que ele tem comigo, por eu ter conquistado aqui seis títulos em dois anos"

Na antevisão do Roma-FC Porto, Sérgio Conceição respondeu a Francesco Totti, que após o sorteio da Champions disse que a Roma teve "alguma sorte" por calhar com os portistas e ainda falou, ou melhor, não falou sobre o videoárbitro na prova: "Quer passar-me uma rasteira, não é? Eu não falo de arbitragem"

Tribuna Expresso e SIC Notícias

Partilhar

Regresso de Sérgio Conceição a Roma, onde jogou na Lazio

"Independentemente daquilo que é o passado, o que fui como jogador, o ambiente que conheco... o importante é o jogo de amanhã, o foco está nisso, numa prova que é fantástica e onde historicamente o FC Porto está habituado a estar. Estamos focados em dar uma resposta positiva, independentemente do passado".

Ausências de Corona e Marega vão fazer falta?

"E Aboubakar. Não há mágoas nenhumas. Sou pago para encontar soluções. As lesões fazem parte daquilo que é a época desportiva das equipas. Nunca ouviram dizer que este ou aquele resultado aconteceu por esta ou aquela ausência, nem no ano passado."

Os 10-0 do Benfica ao Nacional

"Quem? O nosso jogo amanhã com a Roma é que é importante."

Histórico na Champions

"Oportunidade é a que é... Também tivemos o Liverpool no ano passado, foi uma experiência importante que tivemos. Sabemos que temos de ser inteligentes nestes 180 minutos, na abordagem ao jogo e na estratégia. O nome do adversário não é importante mas está num quadro competitivo acima da média. Posso dar o exemplo do melhor jogador do mundo jogar aqui em Itália. É um campeonato exigente e competitivo, por isso temos de estar à altura dessa exigência".

Lorenzo Pellegrini, da Roma, disse que o FC Porto não é de topo europeu

"O FC Porto é uma excelente equipa mas realmente não é de topo europeu - é de topo mundial. No plano teórico podemos dizer muita coisa mas amanhã logo se vê. No fim uma equipa esfregará as mãos, esperamos que seja o FC Porto."

Mais experiência para ir mais longe

"A experiência por si só não vale nada, é preciso coragem, determinação, andamento, pernas - um conjunto de características que faz as equipas ganhar jogos. O objetivo é passar aos quartos de final. A Roma tem individualmente jogadores muito interessantes, é o terceiro melhor ataque do campeonato italiano e isso não é coisa pouca num campeonato tão exigente, onde faz parte do ADN haver equipas consistentes a nível defensivo. Somos consistentes com e sem bola e amanhã teremos de sê-lo defensivamente, devido ao processo ofensivo da Roma. Depois também temos de tentar fazer golos porque seria importante marcar aqui."

O passado como jogador e as palavras de Totti, que disse que a Roma teve sorte no sorteio

"Não nenhum sentimento especial por defrontar a Roma por ter sido jogador da Lazio. Há um sentimento especial por ter ao peito o símbolo do FC Porto, sinto esse grande orgulho de representar um clube tão grande. E em relação à frase do Totti, talvez tenha sido pela antipatia que ele tem comigo, por eu ter conquistado aqui seis títulos em dois anos."

Castigo a Corona

"Já falei sobre isso antes: não sei como é que UEFA faz para avaliar os pensamentos dos jogadores. É difícil entender estas situações, não compreendo o castigo do Corona."

Vai haver VAR na fase a eliminar da Liga dos Campeões

"Já o conheço há alguns anos... Quer passar-me uma rasteira, não é? Eu não falo de arbitragem."

Fiorentina venceu a Roma por 7-1

"São jogos que acontecem, por vezes são casos isolados numa época. Não tiramos exemplo desse jogo. É uma equipa muito competitiva."

Marcano, ex-FC Porto, tem jogado pouco na Roma

"Sei que é um excelente profisisonal, um ser humano fantástico. Não faço ideia das razões para não se afirmar e não conseguir convencer em Itália, porque ele pode jogar em qualquer equipa italiana, tem imensa qualidade e experiência e é um ser humano de quem gosto muito. Ganhámos um campeonato no ano passado, num trajeto fantástico. É um jogador acima da média mas depois há vários fatores: um campeonato diferente, questões familiares, adaptação... Não faço ideia."