Tribuna Expresso

Perfil

Liga dos Campeões

Bruno Lage e a óbvia sina do Benfica: "Quem perde os dois primeiros jogos não pode perder mais pontos"

O treinador do Benfica lembrou, outra vez, na antevisão ao jogo com o Lyon (20h, TVI), que a equipa não pode perder mais pontos na Liga dos Campeões. Bruno Lage explicou que os franceses tentarão, talvez, apostar mais no jogo interior e não desvendou quem jogará na dupla de ataque

Tribuna Expresso

PATRICIA DE MELO MOREIRA/Getty

Partilhar

Que jogo espera do jogo em Lyon

"Espero um jogo semelhante. Passaram-se alguns dias e jogos, as equipas tiveram tempo para se prepararem, sentimos ligeiras alterações na dinâmica ofensiva do adversário, tem jogado com alas que procuram mais o jogo interior, ao contrário do que foi o jogo no Estádio da Luz. Espero um jogo muito competitivo, como esperava, de início, todos os jogos deste grupo. Temos de mostrar a força do nosso coletivo. Temos de ter um coletivo com e sem bola para vencer. É essa a nossa exigência."

Rudi Garcia deu um futebol mais ofensivo aos franceses?

"Foi um jogo muito interessante. Quando temos bola também nos atiramos para a frente. Tivemos uma primeira parte excelente até à saída do Rafa. Na segunda, tivemos bons momentos, outros nem tanto, e o adversário apresentou-se muito forte. Joga com muita gente no meio campo ofensivo, num 4-4-2 com dinâmica forte, um dos médios salta às entrelinhas e os laterais vão à frente. Quer uma equipa, quer outra, independentemente do onze e do sistema, tem uma ideia de jogo de procurar o golo."

Dupla de ataque

"Estamos a 24 horas do jogo e a 48 do último jogo. Temos muitas situações para avaliar. Os jogadores da frente estão preparados para fazerem o que é a nossa estratégia para o jogo."

O que precisa quem joga menos para jogar mais?

"Tivemos que fazer algumas alterações desde o jogo da Supertaça porque temos perdido jogadores, por lesão, em todos os jogos. Uma coisa é substituir jogadores lesionados, caso do Gabriel, do Florentino, do André [Almeida], entre outros. Depois, são situações de jogo. Porque é que o Grimaldo jogou com o Cova da Piedade? Porque estava sem competição há 20 e tal dias, devido à paragem das seleções. O Jardel, por estar sempre pronto para jogar, também esteve nesse jogo.

Uma coisa é certa: todos têm de ter rendimento. Depois, é fazer uma análise a cada momento, de cada um deles. O que é facto é que o rendimento e a estratégia contam muito."

É proibido falhar?

"Sim. Numa competição tão curta, quem perde os dois primeiros jogos não pode perder mais pontos. O nosso objetivo desde o início da época é querermos fazer uma Liga dos Campeões à dimensão do historial do clube. Vamos fazer de tudo para vencer o jogo."

Um golo em 12 jogos de Raúl de Tomás

"Não é só no futebol, é na vida. Temos de estar sempre a refletir e a pensar, independentemente do tempo até à ação seguinte. Temos de olhar para as situações de uma forma equilibrada. O mais importante é o rendimento coletivo e individual. Vejo o Raúl tranquilo. A verdade é que, quando não se marca golos, tendo isso como tema, pode influenciar um ou outro comportamente.

Mas, pelo que têm sido os treinos, ele e o Seferovic estiveram a fazer, durante 15 minutos, exercícios de finalização e têm grande disponibilidade para trabalhar. E eu tenho de escolher o onze certo para garantir uma boa exibição e os três pontos."