Tribuna Expresso

Perfil

Liga dos Campeões

"A UEFA tem estado em permanente contacto com a FPF, bem como com as autoridades portuguesas. Neste momento, não há razões para um plano B"

A UEFA crê que a fase final da Liga dos Campeões irá manter-se em Lisboa, apesar do novo surto que atinge a cidade, mas garante estar a avaliar a situação "diariamente"

LUSA

Eric Gaillard

Partilhar

A UEFA continua a monitorizar a situação epidemiológica em Lisboa e considera "não haver razões" para avançar para uma alternativa à 'final a oito' da Liga dos Campeões de futebol, confirmou hoje o organismo à agência Lusa.

"A UEFA tem estado em permanente contato com a Federação Portuguesa de Futebol, bem como com as autoridades portuguesas. Neste momento, não há razões para a UEFA ter um plano B, mas estamos a avaliar a situação diariamente e estaremos prontos para dar resposta quando e se for necessário", confirmou o organismo que gere o futebol europeu.

Portugal registou hoje mais seis mortos relacionados com a covid-19 do que na quinta-feira e mais 451 infetados, sendo que se mantém uma particular incidência na região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Ainda assim, a UEFA espera que "tudo corra bem e que seja possível organizar a 'final a oito' em Portugal", que está agendada para agosto, nos estádios da Luz e José Alvalade, em Lisboa.

A edição de 2019/20 da 'Champions', que foi suspensa em março devido à pandemia de covid-19, vai ser reatada com os restantes quatro jogos dos oitavos de final, seguindo-se o desfecho inédito em campos neutros.

A final, que vai ditar o sucessor do já eliminado Liverpool como campeão da mais importante prova europeia de clubes, vai ser disputada pela terceira vez em Portugal.

Os dados da DGS indicam 1.555 mortes relacionadas com a covid-19 e 40.866 casos confirmados desde o início da pandemia.

Em comparação com os dados de quinta-feira, hoje constatou-se um aumento de óbitos de 0,4%. Já os casos de infeção subiram 1,1%.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde se tem registado o maior número de surtos, a pandemia de covid-19 atingiu os 18.106 casos confirmados, mais 339 do que na quinta-feira, o que corresponde a 75,2% dos novos contágios.

A pandemia de covid-19 já provocou quase 487 mil mortos e infetou mais de 9,6 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.