Tribuna Expresso

Perfil

PUBLICIDADE
Liga dos Campeões

Champions. Pinto da Costa tem uma mensagem para António Costa: “Obviamente demita-os. Se não é capaz, demita-se o senhor”

Presidente do FC Porto conta ainda uma conversa que teve com o ministro da Educação e que revela, segundo o líder dos portistas, que o governante é inteligente. Mas que revela também que ninguém sabe explicar o que Pinto da Costa considera ser o absurdo de ter público inglês num estádio ao qual os portugueses não podem atualmente ir

Joana Ascensão

Mark Leech/Offside

Partilhar

À margem da final do play-off do campeonato de basquetebol - e perante as bancadas vazias do Dragão Arena um dia depois das bancadas com público inglês no Dragão -, Pinto da Costa considerou "lamentável e incompreensível" que o jogo deste domingo não possa ter "casa cheia" como aconteceu esta sábado com a final da Liga dos Campeões.

O líder dos portistas assume que, depois do evento que encheu o Porto nos últimos dias e não tendo havido "o mínimo incidente no estádio", estão reunidas as condições para se voltar a ter público a assistir aos eventos desportivos.

Em declarações ao Porto Canal, o presidente do FCP assumiu ter perguntado no sábado ao ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, "se ele compreendia" que este domingo "um jogo decisivo de basquetebol não podia ter ninguém a assistir" enquanto nos últimos dois dias "no pavilhão Rosa Mota estiveram cerca de 2500 pessoas aglomeradas, a maioria sem máscara, a ver um espetáculo de música".

"Ele não me soube responder e eu disse-lhe: 'não sabe o senhor nem ninguém porque para coisas estúpidas só os estúpidos é que sabem entender, é sinal de que o senhor afinal é inteligente'", acrescentou Pinto da Costa.

As críticas não se ficaram pela tutela da Educação. Pinto da Costa também se virou para António Costa e para Graça Freitas, diretora-geral da Saúde, com críticas ao estado de exceção que se viveu no Porto em matéria de medidas de saúde pública. "É um atestado de mediocridade ao povo português permitir que os estrangeiros possam vir para os nossos estádios mas, se forem portugueses para o mesmo estádio, não pode ir ninguém", disse, deixando ainda "um conselho" ao primeiro-ministro: "Obviamente demita-os. Se não é capaz, demita-se o senhor".