Tribuna Expresso

Perfil

Liga Europa

"Keep going" até aos quartos de final da Liga Europa

Custou, mas o Benfica derrotou o Dinamo Zagreb, já no prolongamento, com golos de Jonas, Ferro e Grimaldo - e já está nos quartos de final da Liga Europa

Tribuna Expresso

PATRICIA DE MELO MOREIRA

Partilhar

Desde que tinha assumido a liderança da equipa A do Benfica, no início do ano, Bruno Lage já tinha perdido - frente ao FC Porto, a 22 de janeiro, para a Taça da Liga - e já tinha empatado - frente ao Galatasaray, a 21 de fevereiro, para a Liga Europa - mas nunca tinha passado por um período tão negativo como o que antecedeu o jogo desta noite.

Na Croácia, frente ao Dinamo Zagreb, o Benfica perdeu, por 1-0, e na Luz, frente ao Belenenses, o Benfica até esteve a ganhar por 2-0, mas acabou por empatar, 2-2.

E foi por esse "ciclo negativo", se é que isso se pode dizer de dois jogos, que Bruno Lage disse o seguinte, na conferência de imprensa de antevisão do Benfica-Dinamo:

"Aqui temos muito o luto do insucesso, a derrota carrega-nos muito, não o trabalho. Em Inglaterra, é sempre a andar: 'keep going'. É seguir."

Foi com esta mentalidade que Bruno Lage abordou o jogo desta noite: seguiu em frente... e tão em frente que já pensava no jogo de domingo, em Moreira de Cónegos, frente ao Moreirense. É que o onze do Benfica foi tudo menos comum: na defesa, houve Yuri em vez de Grimaldo (e Odysseas, Almeida, Dias e Ferro); no meio-campo, houve Fejsa, que regressou esta noite após uma lesão de quase dois meses (e Gabriel e Pizzi e Zivkovic); e, no ataque, houve Jota e Rafa, relegando Félix e Jonas para o banco (Seferovic continua lesionado).

Só que o plano B (que foi o plano A) nunca chegou a funcionar. Apático, o Benfica demonstrava muitas dificuldades em superar as linhas bem juntas e recuadas dos croatas, limitando-se a chegar perto da baliza adversária através de remates de longe - uma incursão de Rafa pela área, após passe de Gabriel (sempre o mais clarividente), foi a única oportunidade de golo digna desse nome para o Benfica.

Aos 42 minutos, Rafa Silva atirou... para boa defesa de Livakovic

Percebendo claramente o que se estava a passar, Bruno Lage decidiu passar ao plano A (que hoje foi o plano B): ao intervalo, fez entrar Grimaldo e Jonas, por troca com os apagados Yuri Ribeiro (dificilmente continuará a ter lugar neste Benfica) e Zivkovic.

A equipa começou então a ter mais fluidez no ataque, porque o sistema e a forma de abordagem ao jogo podem ser iguais, mas quando os protagonistas mudam, há coisas que também mudam - Jota, por exemplo, não é João Félix (e ainda parece algo "tenro" para este nível): insistiu demasiado em iniciativas individuais, sempre com demasiada pressa em agir, e perdeu várias bolas, daí que tinha sido substituído pelo colega, aos 62 minutos.

Mas foi preciso um defesa fazer de médio para o Benfica chegar, finalmente, ao golo: Ferro (que está cada vez melhor, ao contrário de Rúben Dias) conduziu a bola de forma agressiva pelo meio-campo adversário, picou a bola para Pizzi que, já dentro da área, amorteceu para o golo de Jonas.

Pizzi deu um toque com a cabeça e Jonas atirou para o fundo das redes. Este é o seu primeiro golo na prova. A eliminatória está empatada

Claramente superiores aos croatas, que pouco incomodavam Odysseas, os benfiquistas começaram, depois do golo, a carregar com grande intensidade no ataque - e estiveram muito perto de marcar, primeiro por Rúben Dias e depois por Jonas.

Contudo, certamente para infelicidade de Lage, o Benfica não conseguiu resolver a eliminatória nos 90 minutos, sendo obrigado a ter de disputar o prolongamento.

Aí, houve sempre mais Benfica e Ferro rapidamente decidiu mostrar que a eliminatória era para ser resolvida a favor dos anfitriões. Com um belo remate de fora da área, fez o 2-0, que deixava o Benfica nos quartos de final da Liga Europa

O Benfica salta para a frente da eliminatória. A bola sobra para Ferro, às portas da grande área, e o jovem central faz um grande remate para o fundo da baliza

A eliminatória parecia que ia ficar resolvida, mas os croatas ainda iam ter uma oportunidade de ouro para marcar: com a baliza escancarada, Amer Gojak falhou um golo fácil, enquanto os benfiquistas reclamavam um suposto fora de jogo.

Contudo, o jogo voltaria a ficar nas mãos do Benfica poucos minutos depois: Petar Stojanovic decidiu reclamar com o árbitro, logo depois de levar um amarelo, e acabou por voltar a ser amarelado - e expulso.

Ainda antes do intervalo do prolongamento, o Benfica aproveitou para aumentar a vantagem, com mais um (grande) golo de fora da área, desta vez de Grimaldo - outra aposta segura de Lage ao intervalo.

Grimaldo marcou o terceiro golo do Benfica na partida frente ao Dinamo Zagreb, num tiro do "meio da rua" que só parou lá dentro

Nos últimos 15 minutos do jogo, o Benfica limitou-se a gerir a vantagem, que até poderia ter sido maior, caso Pizzi e Rafa tivessem aproveitado as oportunidades desperdiçadas.

O Benfica está, com toda a justiça, nos quartos de final da Liga Europa (haverá sorteio sexta-feira, às 12h)... mas Bruno Lage estará certamente preocupado com o desgaste que o jogo desta noite terá nos jogadores, domingo, em Moreira de Cónegos, frente ao 5º classificado da Liga portuguesa. Solução? "Keep going".