Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Acabou a espera. Hoje é noite de luta

Conor McGregor e Khabib Nurmagomedov. Se não conhece, fixe estes nomes. Um deles vai ser coroado hoje como o melhor lutador do mundo.

Rui Gustavo

"Vou matar-te. Consigo ver o roxo dos teus lábios", Conor "notorious" McGregor

Steven Ryan

Partilhar

Bad blood. Não há uma tradução exata para esta expressão inglesa. Não é bem maus fígados ou sangue mau. São duas pessoas com assuntos por resolver que não se podem ver. Khabib Nurmagomedov e Conor McGregor têm encontro marcado para a noite de hoje (na verdade é às três da manhã de domingo) em Las Vegas, nos Estados Unidos. Mais do que ganhar o título mundial de pesos leves da UFC, o russo do Daguestão e o irlandês têm oportunidade de resolver a soco, pontapé, mata-leão e todas as técnicas permitidas pela Mixed Martial Arts problemas graves que acabaram em tribunal.

Em abril deste ano, durante um evento da UFC, a maior organização do mundo de MMA, Conor McGregor e um grupo de homens atacaram o autocarro onde Khabib e outros lutadores viajavam. O irlandês, o lutador mais famoso da organização, lançou um troley de metal contra o vidro do autocarro. Três lutadores sofreram cortes e ferimentos, mas Numagomedov escapou ileso. McGregor fugiu do local e só seria detido no dia seguinte quando se entregou à polícia de Nova Iorque. O motivo do ataque: Khabib e os amigos tinham "apertado" num hotel Artem Lobov, amigo e parceiro de treinos de McGregor.

O irlandês deu-se como culpado em tribunal, pagou uma multa e foi obrigado a frequentar um curso para controlo da raiva com resultados públicos: Durante o face-off - dias antes da luta os adversários pesam-se e ficam em frente um ao outro com a melhor cara que conseguirem e sem poderem tocar-se - McGregor segredou de maneira audível para o impassível adversário: "Vou matar-te. Consigo ver o roxo dos teus lábios". Depois, deu-lhe uma sapatada na mã e ainda tentou acertar-lhe um pontapé, perante o entusiasmo dos fãs irlandeses e americanos que assobiaram Narmugomedov. "O McGregor é bom a falar, a entrar na cabeça dos adversários. Não vai conseguir", reagiu o russo.

Khabib, o seráfico, vai defender o título contra o rei do trash talk, Conor McGregor

Khabib, o seráfico, vai defender o título contra o rei do trash talk, Conor McGregor

Steven Ryan

Exageros e crimes à parte, o que seria do mundo do desporto sem uma boa rivalidade? De um herói e da sua Nemesis?. Já tivemos: o desbocado Ali contra Frazier, o sisudo;, o génio Senna versus o cerebral Prost ou o talento de Federer contra o esforço de Nadal.

Na aparência, Khabib e McGregor não podiam ser mais diferentes. Por exemplo: durante a conferência de imprensa para o combate de hoje que só pode ser visto em pay-per-view (SportTV 2, a partir das 03h00 de domingo) e estima-se que vá ter milhões de espectadores do mundo inteiro e um lucro recorde de dois milhões de dólares, o irlandês aproveitou para promover o uísque que começou a produzir numa das suas propriedades dando goladas enquanto provocava o adversário e lhe oferecia. "Eu nunca bebo", respondia o seráfico russo do Daguestão.

McGregor é o campeão das bocas - em novembro de 2016, depois de conquistar o segundo titulo de campeão numa categoria de peso diferente disse que gostava de pedir desculpa a "absolutamente ninguém" porque "o duplo campeão do mundo não pede desculpas". Nurmagomedov fala um inglês básico e nem tenta fazer piadas. "Fui educado para ser humilde, mas na jaula quero esmagar os meus adversários. Conor é especialista em boxe e combate de pé, Khabib é excelente no grapling e no combate no chão.

Mas serão assim tão diferentes? McGregor passou a infância num bairro pobre de Dublin e no início da carreira de lutador profissional chegou a viver da assistência social. Hoje tem dinheiro, carros, fatos chocantes e todos os títulos que podia imaginar. Há um ano ganhou 100 milhões de dólares para enfrentar num combate de boxe o campeão Floyd Mayweather. Perdeu, claro. "Se lutasse por títulos ou dinheiro já tinha desistido. estou aqui pelo amor à guerra e à luta. Treino para aprender e luto para ganhar", disse numa entrevista recente.

Nurmagomedov cresceu nas montanhas do Daguestão treinado por um pai disciplinador. Lutava com ursos. "Éramos pobres, mas ele viu logo onde é que eu podia chegar". É muçulmano devoto, não treina no Ramadão e nunca perdeu um combate profissional na carreira. Tem um registo de 26 vitórias e zero derrotas.

McGregor não entra num octógono há dois anos e este é o primeiro de seis combates que aceitou fazer no UFC por um valor não revelado. Tem 30 anos e perdeu os dois títulos que conquistou por ter optado por não defendê-los. Nurmagomedov é o campeão mas na verdade nunca enfrentou ninguém com o valor do irlandês. Nada como recorrer à ciência para saber quem é o favorito: as casas de apostas de Las Vegas dão o russo como favorito. Não há romantismo que resista à frieza do dinheiro.