Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

A difícil história de Katelyn Ohashi, a ginasta com a rotina nota 10 com 32 milhões de visualizações

Vídeo da rotina obteve mais de 32 milhões de visualizações em três dias.

Partilhar

A ginasta norte-americana Katelyn Ohashi deslumbrou no sábado passado o júri do Campeonato Nacional de Ginástica Universitária com uma rotina que não só alcançou a nota máxima, como também tornou-se viral na internet. A competição nacional aconteceu em Anaheim, na Califórnia.

Partilhado no Twitter, pela UCLA - universidade que a atleta representa -, o vídeo da rotina, que teve partes de músicas de Michael Jackson ou Tina Turner, obteve mais de 32 milhões de visualizações em três dias, assim como cerca de 645 mil "gostos" e 154 mil partilhas.

No entanto, não é só a "rotina nota 10" que marca a história da atleta. Katelyn Ohashi ajudou a Universidade da Califórnia em Los Angeles a vencer o título da NCAA - o campeonato norte-americano de ginástica feminina -, em 2018, depois de estar envolvida num acidente de carro.

A ginasta confessou ainda os problemas de imagem que enfrentou durante as competições. "Diziam-se que parecia que tinha engolido um elefante ou um porco", escreveu numa série de publicações onde abordou no seu site o "body shaming", ou na tradução literal, vergonha do corpo.

"Fui comparada a um pássaro demasiado gordo para conseguir sair do chão."

Apesar de tudo isto, a atleta não só conseguiu vários prémios nacionais, como agora a "rotina nota 10" está a correr mundo.